PUBLICIDADE

Santos / Sa√ļde

Ingest√£o de √°lcool

A ingest√£o de √°lcool √© uma pr√°tica social presente em v√°rias culturas e h√° muito tempo, provavelmente em datas pr√≥ximas √† 3.000 AC. √Ä parte de alguns momentos hist√≥ricos espec√≠ficos, a ingest√£o de bebidas alco√≥licas sempre teve a autoriza√ß√£o legal dos governos e a aceita√ß√£o social das pessoas. Mas, com certeza, o √°lcool √© uma subst√Ęncia psicoativa que t√™m trazido preju√≠zos sociais, pessoais, familiares e econ√īmicos muito profundos.

Nos dias de hoje, o uso contumaz do √°lcool √© considerado uma doen√ßa, muito mais do que uma falha de car√°ter. Estudos mostram que o etilismo √© uma doen√ßa multicausal com componentes biol√≥gicos, psicol√≥gicos ou comportamentais e, ainda, sociais e ambientais. Nenhuma dessas causas parece ter uma predomin√Ęncia sobre a outra. O uso excessivo √© uma hist√≥ria pessoal, no qual um desses fatores seria a causa principal, mas de forma integrada aos outros.

O consumo agudo de √°lcool, ou seja, a bebedeira, provoca danos no est√īmago, o que pode promover dores, √Ęnsias e v√īmitos. O √°lcool √© um depressor do sistema nervoso central e, de forma significativa, diminui a capacidade motora e o reflexo do bebedor. Por isso, a m√°xima: √°lcool e dire√ß√£o n√£o combinam. Os n√ļmeros de acidentes no tr√Ęnsito confirmam isso.

O uso cr√īnico de √°lcool, ou seja, aquela em que a pessoa bebe de forma cont√≠nua e constante, √© uma a√ß√£o predominantemente masculina, a despeito do n√ļmero crescente de mulheres usu√°rias. Al√©m de comprometer o sistema nervoso, o consumo de √°lcool gera outros danos. No digest√≥rio agride o est√īmago e o es√īfago, podendo causar c√Ęncer nesses √≥rg√£os e no f√≠gado. Mas a ingest√£o excessiva de √°lcool interfere em todas as fun√ß√Ķes biol√≥gicas, como por exemplo, a de induzir menor densidade √≥ssea.

Uma vez em condi√ß√£o de depend√™ncia, deixar de usar o √°lcool √© muito dif√≠cil, porque √© capaz de induzir forte tend√™ncia √† compuls√£o, o que representa uma vontade irresist√≠vel de consumo de √°lcool. A s√≠ndrome de abstin√™ncia causada pelo √°lcool tamb√©m dificulta a abstin√™ncia. Por isso, ‚Äún√£o tome o primeiro gole‚ÄĚ.

O Centro de Informa√ß√Ķes sobre Medicamentos (CIM), do curso de Farm√°cia da Unisantos, est√° dispon√≠vel para solucionar suas d√ļvidas. O contato pode ser pelo e-mail cim@unisantos.br.

1descricao-paulo-lorandi-colunista-revista-mais-santos