PUBLICIDADE

2.0 - REGIÃO

Delegacia Eletr√īnica passa a registrar viol√™ncia dom√©stica

Da Redação

A partir desta sexta-feira (3), as v√≠timas de viol√™ncia dom√©stica poder√£o registrar os casos atrav√©s da Delegacia Eletr√īnica. O atendimento presencial prossegue normalmente nas 134 DDMs (Delegacia de Defesa da Mulher) do Estado, mas agora as v√≠timas desse tipo de crime t√™m a op√ß√£o digital para buscar ajuda e se defender dos agressores.

De acordo com a Delegada Jamila Ferrari, Coordenadora das DDMs em S√£o Paulo, o atendimento eletr√īnico √†s v√≠timas de viol√™ncia contra a mulher j√° estava sendo planejado pela Pol√≠cia Civil e teve seu lan√ßamento antecipado por conta da crise da COVID-19.

A principal vantagem do novo servi√ßo, segundo Jamila, √© a agilidade na notifica√ß√£o das ocorr√™ncias. “A v√≠tima poder√° acessar o site de qualquer dispositivo conectado √† internet, como smartphone, tablet ou computador. Esse servi√ßo √© essencial em um per√≠odo em que as mulheres t√™m dificuldade para sair de casa”, acrescentou.

Assim como nos demais casos registrados pela delegacia eletr√īnica, os boletins de viol√™ncia dom√©stica passar√£o por uma triagem e ser√£o encaminhados √†s DDMs correspondentes √† regi√£o de cada ocorr√™ncia.

Nas cidades que não possuem uma DDM, a ocorrência será direcionada à delegacia territorial correspondente à residência da vítima. Caberá aos delegados e delegadas responsáveis providenciar as diligências e perícias necessárias, assim como entrar em contato com as vítimas.

Foto: Mais Santos