REGIÃO 

Por Alexandre Piqui

As mulheres que frequentam um bar, no bairro de Pinheiro em São Paulo, encontram no banheiro um cartaz com os seguintes dizeres;

“Ei moça! Você está em um encontro que não está indo muito bem? Você está em um encontro aonde a pessoa não é quem ela dizia ser? Você não está se sentindo segura? Estamos aqui para ajudar! Apenas vá para o bar e peça o drink “La Penha”. O bartender irá chamar o segurança para te acompanhar até o seu carro, Uber, táxi ou até chamar a polícia, se necessário. Não se cale”.

A iniciativa tem circulado pelas redes sociais, mas não é nova, já tem nove meses. Em entrevista ao MAIS SANTOS, Ariel Luís Silveira de Freitas, gerente do Raiz Bar, disse que a ideia surgiu através de uma ex-funcionária. “Ela sentiu essa necessidade, pois tem muita mulher que vai a bar e fica numa situação complicada. Às vezes o cara fala que é uma pessoa, chega lá é outra. Se ela precisar de ajuda, o cartaz está lá, dentro do banheiro, uma coisa bem íntima”, diz.

A preocupação não é para menos. De acordo com levantamento do Datafolha, encomendado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e divulgado em 2018, há um dado alarmante. A cada hora no Brasil, aproximadamente 500 mulheres são agredidas. O estudo ainda revela: 3% delas estavam no bar ou na balada.

Neste período em que o cartaz está exposto no banheiro feminino do estabelecimento, o drink “La Penha” não foi solicitado, conta o gerente. Mas a repercussão, desde o início, tem sido bem positiva. “Tem mulheres que vão ao banheiro e postam a plaquinha nas redes sociais para mostrar as outras pessoas”, revela.

E se for preciso socorrer alguma mulher, todos os funcionários estão orientados de que forma proceder. “Eles devem tomar as medidas cabíveis, como chamar a polícia”, conta Ariel.

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos