REGIÃO 

Nem 72 horas depois da inauguração, o local amanheceu fechado e com uma mensagem presa no portão: “Não abriremos por problemas técnicos”.

A Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo informou, em nota, que o Bom Prato não abriu nesta sexta-feira (20) porque houve problema em um equipamento (uma caldeira), e por medida cautelar, a unidade foi fechada até que isto seja solucionado. Técnicos do Bom Prato e da empresa responsável pela fabricação do equipamento saíram de São Paulo com destino à Cubatão para saber o que houve.  O restaurante voltará a abrir, provavelmente, na segunda-feira (23/12).

Já de acordo com a Prefeitura de Cubatão, o fechamento do local aconteceu por causa de problemas operacionais na cozinha, o que gerou ferimentos leves na cozinheira Ana Ligia de Lima, de 51 anos. A funcionária foi socorrida, foi medicada e está em casa.

A nota informa ainda que técnicos estão fazendo avaliação nos equipamentos e já descartaram problemas na caldeira, que está intacta. Outros equipamentos estão sendo vistoriados. Não está afastada a possibilidade de ter ocorrido falha humana.

Histórico

Nesta quarta-feira (18), o Restaurante Bom Prato foi inaugurado em Cubatão com a presença do governador João Dória e da Secretária de Desenvolvimento Social Célia Parnes. A nova unidade integra os oito restaurantes do Programa na Baixada Santista e os 58 existentes em todo o Estado.

Segundo o governo, foram investidos um total de 1,7 milhão nas instalações, sendo R$ 637 mil do governo de São Paulo e R$ 1,1 milhão da prefeitura. O estado é reponsável pelo custeio das refeições, com valor estimado de R$ 1.194.522,00 anuais.

O Bom Prato de Cubatão é gerenciado pela Organização da Sociedade Civil Vidas Recicladas e deverá servir diariamente 1,5 mil refeições, sendo 1,2 mil almoços e 300 cafés da manhã.

Bom Prato

O Programa Bom Prato, do Governo do Estado de São Paulo, foi criado em Dezembro 2000 com o objetivo de oferecer, à população de baixa renda, refeições a custos acessíveis.

A alimentação é balanceada com 1.200 calorias, composta por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época). O subsídio governamental é de R$ 4,70 para adultos e de R$ 5,70 para crianças com até 6 anos, que tem a refeição gratuita.

Já o café da manhã é oferecido leite com café, achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de 400 calorias em média, custa R$ 0,50 ao usuário. Em Setembro de 2011, o café da manhã foi implantado em todos os restaurantes.

(Foto: Divulgação)

saiba antes via instagram @revistamaissantos