PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Procon-SP registra mais de 6,5 mil reclama√ß√Ķes durante pandemia de COVID-19

A¬†Funda√ß√£o Procon-SP¬†informa que, desde o in√≠cio da pandemia de COVID-19 at√© o dia 1¬ļ de junho, foram registradas mais de 6,5 mil reclama√ß√Ķes de consumidores que tiveram problemas relacionados √† doen√ßa: ag√™ncias de viagens respondem por 3.418 casos (52%) e companhias a√©reas, por 1.617 (25%).

H√° tamb√©m quest√Ķes relacionadas a farm√°cias, lojas e mercados (709 reclama√ß√Ķes), institui√ß√Ķes financeiras (551), ingressos e eventos (145), programas de fidelidade (91) e cruzeiros (67).

Al√©m das reclama√ß√Ķes, os consumidores tamb√©m procuram o √≥rg√£o estadual para tirar d√ļvidas e fazer den√ļncias: 3.956 consumidores buscaram o atendimento da institui√ß√£o com d√ļvidas e pedidos de orienta√ß√£o relacionados a rela√ß√Ķes de consumo e o novo coronav√≠rus; j√° as den√ļncias de pre√ßos abusivos e de outros assuntos recebidas via redes sociais somam 6.115 casos.

O Procon-SP tem atuado em diversas frentes a fim de minimizar os impactos que a pandemia ‚Äď que afetou de uma s√≥ vez todas as rela√ß√Ķes de consumo ‚Äď est√° causando √† popula√ß√£o: disponibiliza√ß√£o do hotsite coronav√≠rus com material de orienta√ß√£o e informa√ß√Ķes espec√≠ficas sobre o tema, canal de den√ļncias, aulas semanais na TV Procon-SP, reuni√Ķes com fornecedores de diversos setores a fim de buscar solu√ß√Ķes para os conflitos, fiscaliza√ß√Ķes de pre√ßos abusivos e aplica√ß√£o de multas aos estabelecimentos que infringem a legisla√ß√£o.

Fiscalização

As equipes de fiscalização visitaram três mil e setecentas farmácias, supermercados, hipermercados, entre outros estabelecimentos de 216 cidades do estado. Desse total, três mil e trezentos locais (89%) foram notificados a apresentar notas fiscais para verificação da prática de preços abusivos.

O aumento de pre√ßos de itens considerados essenciais neste momento de avan√ßo do novo coronav√≠rus ‚Äď por exemplo, alimentos, √°lcool em gel, botij√£o de g√°s e m√°scaras de prote√ß√£o ‚Äď prejudica a popula√ß√£o e a legisla√ß√£o prev√™ ser dever do Estado interferir quando observar abusos e quando for necess√°rio proteger a parte mais vulner√°vel.

O consumidor que se deparar com algum valor de produtos ou serviços relacionados ao coronavírus que considere abusivo, deve registrar reclamação junto ao órgão estadual. A Diretoria de Fiscalização irá apurar a situação e o fornecedor será multado caso a infração seja constatada.

Den√ļncias e orienta√ß√Ķes

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimentos a dist√Ęncia para receber den√ļncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo ‚Äď dispon√≠vel para Android e iOS ‚Äď ou redes sociais; para as den√ļncias, marque @proconsp, indicando o endere√ßo ou site do estabelecimento.