2.4 // SAÚDESANTOS 

Um dos principais gargalos da saúde pública da região começa a ser solucionado a partir deste mês. O Complexo Hospitalar dos Estivadores, equipamento da Prefeitura de Santos, passará a realizar cirurgias endovasculares para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Os quatro primeiros procedimentos ocorreram neste sábado (14).

Por mês, serão oito revascularizações de membros inferiores (pé e pernas), em casos de pacientes com pé diabético e doenças vasculares, sendo quatro delas para pacientes de Santos e outras quatro para pacientes das demais cidades da Baixada Santista encaminhados via sistema CROSS (estadual). Os moradores de Santos serão triados pela equipe multiprofissional e cirurgião vascular que atuam na Central de Curativos do Complexo Hospitalar da Zona Noroeste.

As revascularizações são procedimentos de alta complexidade e anteriormente eram realizadas no Hospital Santo Amaro, do Guarujá – que oferecia duas vagas/mês para as nove cidades da Baixada (quatro vezes menos do que o previsto no Estivadores).

Há dois anos, o hospital pediu o descredenciamento do Ministério da Saúde por causa da baixa remuneração. O Santo Amaro recebia do SUS R$ 116 mil/ano (R$ 9.739,00/mês) para a realização das cirurgias. O valor será solicitado pela Prefeitura de Santos para ajudar no custeio dos procedimentos no Estivadores, os quais estão orçados em mais de R$ 200 mil/mês.

Hospital
O Complexo Hospitalar dos Estivadores é mantido sob gestão compartilhada entre a Prefeitura de Santos e a organização social Instituto Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz. O hospital conta atualmente com 151 leitos, sendo 75 de clínica médica, 17 UTI adulta, 13 cirúrgicos, 36 de maternidade e 10 de UTI neonatal, além de cinco salas de parto, pré-parto e pós-parto, dois centros cirúrgicos e duas salas cirúrgicas obstétricas).

Foto: Hospital dos Estivadores/Divulgação/PMS

saiba antes via instagram @revistamaissantos