1.7 // ESPORTESANTOS 

Da Redação

A política do Santos Futebol Clube segue cada vez mais quente e a tendência é ferver mais ainda nos próximos dias. O presidente José Carlos Peres pode ser afastado no próximo dia 10 de Março e sofrer novo processo de impeachment.

Em entrevista ao programa Bola do Jogo da Rádio Ômega, nesta segunda-feira (24), o conselheiro Rubens Marino afirmou que o parecer da Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS) do Alvinegro Praiano pediu o impeachment de toda a diretoria pela reprovação das contas de 2018.

Vale lembrar que a reprovação das contas do primeiro ano de gestão de José Carlos Peres apontou no balanço um déficit de R$ 77 milhões.

O próximo passo agora é o presidente do Conselho Deliberativo Marcelo Teixeira marcar reunião e, entre outros assuntos, a votação do parecer da CIS. O encontro entre os co conselheiros deve ser no próximo dia 10 e, caso o plenário aceitar o parecer, um novo processo de impeachment será iniciado.

De acordo com o novo estatuto do clube, votado no final de 2019, o presidente pode precisar deixar o cargo. Porém, como as contas são de 2018, ou seja, anterior ao novo estatuto, existe dúvida sobre a aplicação neste caso.

O novo texto do artigo 69, parágrafo segundo, diz que, em casos de processo de impeachment por gestão temerária, o presidente deixa o cargo imediatamente após a aprovação do pedido pelo Conselho.

Sendo assim, Marcelo Teixeira precisaria, em 60 dias, convocar a votação do processo. Caso não ocorra nesse período, Peres reassumiria suas funções.

(Foto: Divulgação)

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos