SANTOS 

Ainda que com a construção de novos prédios residenciais na região onde fica a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, o Orquidário Municipal de Santos e o moderno VLT,  para quem não é acostumado a visitar a cidade e passa por esse local, pode-se ter a impressão de que a região ainda guarda alguns traços interioranos, com casinhas antigas e comércios de bairro. Porém, nos últimos anos, o medo da violência vem à tona e é uma realidade presente na vida dos moradores das imediações. Leia a matéria completa.

Desde a manhã do último sábado (18), as redes sociais de milhares de moradores de Santos e Região não falam de outro assunto que não sejam as queixas da falta de segurança das imediações do Orquidário Municipal de Santos e a Estação do VLT Nossa Senhora de Lourdes. O tema entrou em destaque após o caso da jornalista de 43 anos, que alega ter sido agredida por um homem que a abordou enquanto saia da casa de parentes nas proximidades da região, na última quinta (17), ter sido veiculado pela imprensa local.

Assaltos e importunação por parte dos dependentes químicos que se alojam no túnel do VLT  são os campeões do ranking de reclamações. Outras que também são destaque partem de que toda a Cidade precisa de maior policiamento. Também é possível conferir quem diz que o Bairro Boqueirão (que compreende o entorno apelidado de Vila Rica) e a Ponta da Praia são os que recebem maior atenção das autoridades, enquanto outras regiões estão carentes deste suporte. Já outros, replicam de que Santos está repleta de moradores de rua.

 

No perímetro onde fica o túnel da Estação do VLT Nossa Senhora de Lourdes, em vários comentários apurados pela nossa equipe, muitos moradores evitam passar pela região devido ao receio de serem assaltados pelos dependentes químicos que rondam a região (Crédito da imagem: Google Maps)

O que diz a PM?

Sobre os problemas no entorno da região onde a jornalista foi abordada, a reportagem da Mais Santos conversou com a Polícia Militar do Estado de São Paulo e questionou se o policiamento foi intensificado na região após o ocorrido.

Conforme o órgão, através de nota, o policiamento ostensivo e preventivo é realizado por meio de planejamento estratégico e da análise dos índices criminais e do emprego do seu efetivo operacional por meio dos Programas de Policiamento de Rádio Patrulhamento, de Força Tática, de Ronda Escolar, ROCAM (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas) e Policiamento Comunitário.

A PM apresentou que, como resultado dessas ações, nos meses de janeiro a dezembro de 2019, 179 pessoas presas ou apreendidas (adolescentes), na prática de crimes; 22 veículos roubados foram recuperados e cinco armas de fogo apreendidas.

Na conclusão da nota, disse que o policiamento na região é intensificado para reduzir os índices criminais.

E a Prefeitura de Santos?

A nossa reportagem solicitou nota para a Prefeitura de Santos perguntando se houve reforço policial na região e se há possibilidade da remoção dos dependentes químicos que ficam nestas proximidades, bastante conhecidas pelo uso de crack.

Leia, na íntegra, o posicionamento da mesma:

A Prefeitura de Santos coordena uma força-tarefa voltada ao atendimento desta demanda, nas proximidades do túnel do VLT, e outras regiões da Cidade também. As operações constantes são feitas pelas equipes do Programa Novo Olhar (Secretaria de Desenvolvimento Social), do Consultório de Rua (Secretaria de Saúde), Seserp, Guarda Municipal com apoio da Polícia Militar.

A Secretaria de Saúde atua por meio do Consultório de Rua, um projeto que existe desde 2012, e tem como principal objetivo fazer a reinserção da população de rua, dos moradores de rua, a reinserção social através do cuidado da Saúde. O consultório atua nos pontos de maior demanda. Um dos pontos fica no túnel do VLT. Com o acompanhamento de vários pacientes daquela localidade, observou-se que a maior problemática em relação à saúde é o alcoolismo.

O Consultório de Rua atua por meio do cuidado de saúde, com a reinserção desses dependentes no mercado de trabalho, por meio da reaproximação com a família. Este ano de 2019, foram mais de 1.200 atendimentos.

A equipe do Consultório de Rua é formada por uma enfermeira, duas técnicas de enfermagem, um terapeuta ocupacional, uma assistente social e o objetivo é tentar tirar a pessoa da situação de rua, começando pelo cuidado dela em saúde e depois reinserindo na família. O trabalho é feito em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social, com o Projeto Novo Olhar.

Com o fechamento do túnel do VLT, tem muita população em situação de rua que foi para a orla e para zona do mercado municipal. Então, o consultório na rua fez um remanejamento de local de atendimento para a orla, onde o consultório atua de duas a três vezes por semana. O restante do tempo, o trabalho é feito no mercado e nas proximidades da vila Nova, na região central de Santos.

A Secretaria de Saúde informa também que o CAPS AD atendeu, no ano passado, cerca de 1.200 usuários que apresentam necessidade de cuidado em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas. Desse montante, cerca de 45 % é composto por novos usuários. Pessoas em situação de rua que procuram a unidade ou são encaminhadas por outros serviços representam cerca de 1/3 desse total. O CAPS AD funciona atualmente em um imóvel na Rua Silva Jardim, 354 e está em processo de mudança de endereço, onde terá melhores condições de atender a todo público que procura a unidade.

A Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS) informa que esse território é um local de uso de substâncias psicoativas. De acordo com o trabalho feito pela equipe, as pessoas que ficam ali e no entorno não necessariamente estão vivendo na rua. Muitos tem residência, e passam períodos ali para fazer o consumo.

As equipes de abordagem da SEDS fazem monitoramento constante nessa região e ofertam acesso aos serviços existentes. Quanto a outros municípios que trazem pessoas para Santos, na verdade a maioria deles vem por conta própria, muitos descem a pé de São Paulo, segundo os próprios moradores de rua, atraídos pela questão da caridade e pela busca de melhores condições de vida.

No site do Novo Olhar há orientação para que munícipes possam denunciar se observar veículos suspeitos. http://www.santos.sp.gov.br/novoolhar. Essa orientação também é feita junto à população e comerciantes in loco pelas equipes do programa.

A Secretaria de Serviços Públicos (Seserp) informa que todos os 27.532 pontos de iluminação pública da Cidade foram modernizados. O serviço incluiu a substituição de todas as lâmpadas e também de luminárias e braços dos postes que precisaram de troca. Mesmo assim, a Seserp vai solicitar ao consórcio responsável pelo serviço que faça uma ronda à noite no local indicado pela Reportagem, para vistoriar as condições da iluminação pública. A Prefeitura de Santos destaca que, desde o início do ano, tem um instrumento para modernizar a iluminação pública urbana. A Lei nº 379/2019, que autoriza a parceria público-privada para o setor, foi aprovada pela Câmara Municipal. Por meio de licitação, a Cidade agora pode firmar contrato com entidades privadas. A medida tem o objetivo de aumentar o investimento na área, expandindo e modernizando o sistema.

O patrulhamento no local é feito durante 24h. As equipes se revezam e, nestes intervalos, é feito o monitoramento por meio das câmeras de segurança.
A Secretaria de Segurança de Santos informa que desde 23/9/2019, a base móvel da GCM foi instalada nas imediações das ruas Santa Catarina e Décio Stuart, próximo ao túnel do VLT, no José Menino. A corporação atua todos os dias, das 7h às 19h, com apoio diário da PM, em todos os períodos. Além da base, GCMs também fazem o patrulhamento com o auxílio de duas motos. A GCM conta com o reforço da Atividade Delegada, com equipe da PM 24h no local. A GCM informa que possuem 6 viaturas e 4 motos para este reforço por meio da Atividade Delegada.
Limpeza e nova praça – Na mesma via, com o objetivo de evitar ocupações e descarte irregular de lixo, a Seserp construiu uma praça no local, com playground e recanto com bancos. O local sempre foi alvo de ações especiais. Às segundas e quintas-feiras são efetuadas forças-tarefas no local em conjunto com a PM, Terracom, CET-Santos, Seserp e BR Mobilidade (responsável pelo VLT). A Seserp também atua no bairro com equipe de varrição, 2 vezes por semana. Também disponibiliza o serviço Cata-Treco uma vez por semana, com agendamento prévio pelo tel 0800-7708770. A população pode acionar a Ouvidoria (tel 162) e GCM (153).

Prisão

Segundo a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), o suspeito acusado de ferir e roubar a jornalista foi preso na tarde deste sábado (18).

As informações são de que é um ex-presidiário, de 29 anos, e que não é da região. A detenção ocorreu na Rua Princesa Isabel, em São Vicente. Ainda que de forma preliminar, a vítima reconheceu o homem como autor do crime através de uma foto. Como a vítima ainda se recupera dos cortes nos dedos e do abalo psicológico, o reconhecimento pessoal ainda não foi feito.

Foi expedida uma solicitação para a prisão temporária, pois o suspeito nega a autoria do crime. Mas, os órgãos competentes darão continuidade às investigações.

 

saiba antes via instagram @revistamaissantos