1.7 // ESPORTESANTOS 

Por Fellipe Camargo

O Santos versão 2020 foi muito aquém do que se esperava e decepcionou diante do Red Bull Bragantino no primeiro duelo da temporada. O empate sem gols foi o retrato de duas equipes que até buscaram o ataque, mas pecaram no último detalhe para transformar a jogada em comemoração.

O jogo

A dúvida no ataque foi tirada minutos antes do início da partida. Jesualdo Ferreira optou pelo jovem Kaio Jorge, campeão mundial sub17 no ano passado com a seleção brasileira, para ser o titular ao lado de Marinho e Eduardo Sasha. Mas, o que se viu foi um Peixe tendo dificuldades para vencer a marcação adversária. A equipe ameaçou o goleiro Júlio César apenas em investidas do meia Carlos Sanchez. O uruguaio tentou abrir o placar com um belo chute de três dedos e também em cobrança de falta.

O cenário não foi um demérito santista, afinal, apostando também em passes verticais, o time de Bragança Paulista acabou pecando muito no passe final. Aderlan, Uillian Correia e Claudinho tentaram chutes de fora da área, mas sem sucesso.

Na etapa final, Jesualdo Ferreira sacou Kaio Jorge e colocou Raniel na equipe. A mudança alterou o esquema tático da equipe. O Peixe saiu do 4-3-3 para o 4-4-2, uma vez que Raniel e Sasha passaram a jogar como dois atacantes, com Marinho aberto pela direita e Pituca pela esquerda.

O Santos sofreu em muitos momentos com as investidas do Bragantino. Em duas oportunidades, o rival santista quase abriu o placar. Na primeira, Ytalo recebeu de Thonny Anderson, mas parou na boa defesa de Everson. Na segunda, o mesmo camisa 9 tocou de cavadinha, mas a bola caprichosamente bateu no travessão e depois a zaga do Santos afastou.

Ainda na etapa final, o técnico português colocou Arthur Gomes e Derlis González que entraram nas vagas de Sasha e Marinho. Porém, as substituições não foram suficientes para ajudar o time da Vila a sair com os três pontos.

Após o 0 a 0, o Santos ainda anunciou que o atacante Marinho sofreu entorse no tornozelo esquerdo.

De acordo com o departamento médico do clube, o jogador já iniciou tratamento e será reavaliado na reapresentação do elenco na tarde desta sexta-feira.

Homenagens

A noite foi encarada como especial pelo Santos, não apenas porque se tratava da estreia da equipe no ano e de Jesualdo Ferreira, mas também pelas comemorações.

O lateral-direito Pará recebeu uma placa e usou camisa especial no confronto pelos 200 jogos com a camisa alvinegra.

O clube fez questão de homenagear a cidade de Santos que, no próximo domingo (26), comemora 474 anos.

Além da arte na camisa de jogo, o cantor Supla, santista de coração, cantou para os torcedores no intervalo do jogo. Outras ações marcaram também as homenagens à cidade.

Próximos jogos

Após o tropeço em casa, o Santos volta a campo na próxima segunda-feira e encara o Guarani, às 20 horas, em Campinas.

Já o Red Bull Bragantino, com o 1 ponto conquistado na Vila Belmiro, também só joga na segunda que vem, em casa, diante da Inter de Limeira.

(Foto: Reprodução/Twitter Santos FC)

saiba antes via instagram @revistamaissantos