PUBLICIDADE

Edição Mensal

O DESRESPEITO A LEI

Colocar o filho na creche nem sempre é uma decisão fácil para os pais. Para alguns a necessidade e até a urgência se faz presente por terem que trabalhar e não ter com quem deixar a criança. Outros optam pensando no desenvolvimento do filho e na possibilidade de interação com outras crianças.

Um estudo americano publicado no periódico Child Development, associou as creches de boa qualidade ao bom desempenho escolar e cognitivo das crianças no futuro. Por favorecer competências pedagógicas, as creches tem a função de impulsionar o desempenho acadêmico. Somado a isso, os pesquisadores descobriram que pessoas criadas com o auxílio de uma creche são mais cuidadosas ao lidar com situações de risco.
Mas, um sinal de alerta paira sobre este assunto em todo o país. Apenas 40% das crianças até 3 anos de idade têm acesso à educação infantil, ficando abaixo da meta de 50% estabelecida pelo Plano Nacional da Educação (Lei 13.005/2014). O dado consta no estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado pela organização da sociedade civil Todos pela Educação (TPE), que apontou uma demanda reprimida em todo o país: 2,3 milhões de crianças não tem acesso a creches.

O estudo também mostra que as dificuldades atingem de forma diferente as crianças. Entre as famílias mais pobres, 28% das crianças não estão matriculadas em creches. Já entre as mais ricas, esse número cai para 7%.

O diretor de Políticas Públicas do Todos Pela Educação, Gabriel Corrêa, explica os motivos dessa dificuldade de acesso. “Essas mais de dois milhões de crianças que estão fora de creche no Brasil elas estão, ou porque não tem uma creche perto de casa, ou tem mas falta vaga, ou até a creche não aceita a criança por causa da idade. Então são crianças cujas famílias desejam colocar numa creche, mas não conseguem obter do Estado esse direito que elas têm”.

 


PUBLICIDADE