PUBLICIDADE

Internacional

Covid-19: mundo deve chegar hoje a 150 milh√Ķes de doses aplicadas

Da Agência Brasil

Com quase 147,2 milh√Ķes de doses aplicadas at√© ontem (9), o mundo avan√ßa na imuniza√ß√£o contra a covid-19, ainda com uma oferta limitada de vacinas dispon√≠veis, por√©m aplicando mais de 4 milh√Ķes de doses de imunizantes por dia desde o fim de janeiro. Os dados s√£o do painel Our World in Data, ligado √† Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Se o ritmo de vacina√ß√£o for mantido, a marca de 150 milh√Ķes de doses deve ser superada¬† nesta quarta (10). Nesse c√°lculo, √© preciso considerar que o n√ļmero de doses aplicadas √© diferente do n√ļmero de pessoas que receberam ao menos uma dose, j√° que considera tamb√©m a segunda dose das vacinas que exigem tal esquema de vacina√ß√£o.

O total de aplica√ß√Ķes desde dezembro do ano passado at√© ontem (9) representa apenas 1,89 dose para cada 100 pessoas no planeta e indica que 0,9% da popula√ß√£o mundial recebeu ao menos uma dose.

No ranking do site, o Brasil ocupa a quinta posi√ß√£o entre os que mais aplicam vacinas diariamente e a 34¬™, quando considerado o percentual da popula√ß√£o que recebeu ao menos uma dose. Segundo dados do Our World in Data, 1,78% dos brasileiros receberam ao menos uma dose de vacina contra a covid-19 at√© ontem (9), e o pa√≠s aplicou, ao todo, 3,82 milh√Ķes de doses.

Os dados sobre o Brasil no site s√£o menos atualizados que os mostrados no painel Monitora Covid-19, da Funda√ß√£o Oswaldo Cruz. Segundo a plataforma da Fiocruz, o Brasil superou ontem a marca de 4 milh√Ķes de pessoas vacinadas e j√° aplicou ao menos uma dose em 1,93% da popula√ß√£o.

China e EUA lideram aplicação

O total de 147,2 milh√Ķes de vacinas alcan√ßado at√© ent√£o tem uma participa√ß√£o expressiva de Estados Unidos (43,2 milh√Ķes at√© 9 de fevereiro) e China (40,5 milh√Ķes at√© 9 de fevereiro). O √ļltimo dado dispon√≠vel no portal informa que os americanos aplicaram 1,49 milh√£o de doses em 9 de janeiro, o maior n√ļmero desde o in√≠cio da vacina√ß√£o nos Estados Unidos. J√° a China aplicou 1,67 milh√£o de doses em 9 de fevereiro, uma queda em rela√ß√£o aos 1,92 milh√£o que foram aplicadas em 7 de fevereiro.

Os americanos estão aplicando doses das vacinas Pfizer/Biontech e Moderna, enquanto os chineses vem utilizando a CoronaVac, da Sinovac, e os dois imunizantes desenvolvidos pela Sinopharm com laboratórios de Wuhan e Pequim.

Reino Unido (431 mil doses em 8 de fevereiro), √ćndia (353 mil doses em 9 de fevereiro) e Brasil (218 mil doses em 9 de fevereiro) completam a lista dos pa√≠ses que mais aplicavam vacinas por dia, segundo os √ļltimos dados dispon√≠veis no Our World in Data. J√° segundo o Monitora Covid-19, da Fiocruz, o Brasil aplicou 267,5 mil doses em 9 de fevereiro.

Os tr√™s pa√≠ses est√£o aplicando dois tipos de vacina, sendo um deles a Oxford/AstraZeneca. No caso do Brasil, tamb√©m est√° em uso a CoronaVac, enquanto os brit√Ęnicos adotam a Pfizer/Biontech, e os indianos, a Covaxin.

Israel tem maior cobertura

Quanto √† cobertura vacinal, no entanto, nenhum pa√≠s chegou t√£o longe quanto Israel, que j√° completou o esquema de doses em 25,69% de sua popula√ß√£o, de cerca de 8,7 milh√Ķes de pessoas. A campanha de vacina√ß√£o israelense conta com duas vacinas de RNA mensageiro, Moderna e Pfizer/BioNTech, e j√° aplicou 5,8 milh√Ķes de doses desde dezembro. Com isso, 41,6% da popula√ß√£o j√° recebeu ao menos uma dose.

Com mais de 60 milh√Ķes de habitantes, o Reino Unido j√° administrou ao menos uma dose em 18,6% da popula√ß√£o, percentual quase duas vezes maior que o dos Estados Unidos (9,83%), cuja popula√ß√£o √© mais que cinco vezes superior √† brit√Ęnica.

As doses aplicadas no mundo, at√© o momento, fora da fase de testes s√£o de dez desenvolvedores diferentes: Oxford/AstraZeneca (Reino Unido e Su√©cia), Sinovac (China), Pfizer/Biontech (Estados Unidos e Alemanha), Moderna (Estados Unidos), Instituto Gamaleya (R√ļssia), Bharat Biotech (√ćndia), CanSino/Instituto de Biotecnologia de Pequim (China), Instituto Vector (R√ļssia), Sinopharm/Instituto de Produtos Biol√≥gicos de Pequim (China), Sinopharm/Instituto de Produtos Biol√≥gicos de Wuhan (China).