PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Climatologista explica: ciclone extratropical causou forte ventania na Baixada Santista

Da Redação

A ventania que atingiu a Baixada Santista no início da manhã deste sábado (22) e causou estragos em várias cidades da região foi fruto de um ciclone extratropical. Quem explica é o climatologista Rodolfo Bonafim, em contato com o Portal Mais Santos.

“√Č um costumeiro visitante no outono e no inverno. √Äs vezes se estende pela primavera e surge at√© no vers√£o. √Č um ciclone forte. N√£o √© um ciclone bomba, como o do ano passado, e, sim, de baixa press√£o. O centro dela estava bem baixo, localizado entre o Litoral do Rio Grande do Sul e do Uruguai. Ele causou muita ventania desde sexta-feira (21). E essa ventania chegou at√© aqui no s√°bado de manh√£, mas n√£o foi s√≥ por causa dele n√£o. √Č porque houve todo um pacote de instabilidades proporcionadas por esse ciclone tinha uma outra √°rea de baixa press√£o subindo pelo interior do Continente. Ent√£o as duas se refor√ßaram e causaram essa ventania toda”, detalha.

A rajada máxima, de acordo com medição da Praticagem de Santos, foi de 108 km/h. E chegou perto, como lembrou Bonafim, da mínima de um furacão, que é de 117 km/h.

“Mas, l√≥gico, n√£o foi furac√£o. Furac√£o √© formado por ventos sustentados que duram horas e horas e, por vezes, dias. Foram rajadas fortes e que duraram, pelo menos, uns 20, 25 minutos, dependendo da regi√£o da Baixada Santista. Foi bem forte em Santos, S√£o Vicente e Guaruj√°, causando destrui√ß√£o. O ciclone extratropical n√£o √© um ciclone como o furac√£o. O furac√£o √© um ciclone de √°guas quentes, que √© muito dif√≠cil de acontecer aqui, mas ainda causa destrui√ß√£o”.

O climatologista afirma que ainda existe risco de algumas rajadas, em raz√£o da instabilidade do tempo. “Tem sol hoje (domingo), mas ainda est√° inst√°vel e o fen√īmeno com aquela f√ļria toda n√£o deve se repetir mais”, prev√™.

A Defesa Civil do Estado de s√£o Paulo emitiu alerta prevendo ventos de 50 a 80 km/h para todo o Litoral de S√£o Paulo, com validade para este domingo (23) e segunda-feira (24).

O órgão recomenda que, em função disso, as pessoas não mexam com cabos de rede elétrica caídos, não se abriguem embaixo de árvores ou coberturas metálicas frágeis e não pratiquem esportes aquáticos ou influenciados pelo vento, como surf, windsurf e kitesurf.

Crédito da foto: