PUBLICIDADE

Regi√£o / Meio Ambiente

Lobo-marinho “descansa” em praia de Mongagu√° e chama aten√ß√£o de banhistas

Da Redação

Um lobo marinho foi encontrado na manhã desta terça-feira (6) numa praia de Mongaguá, próximo á divisa com Praia Grande. O animal, da espécie sul-americana (Arctocephalus australis) foi visto por volta das 10 horas, quando foi acionada a equipe do Instituto Biopesca que executa o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

A equipe de monitoramento constatou que o animal parece estar em boas condi√ß√Ķes cl√≠nicas. Ele havia voltado para o mar, assustado com a presen√ßa de banhistas, mas retornou para a areia logo depois.

O local em que ele está foi demarcado com faixas a fim de evitar a proximidade dos banhistas e a equipe do Biopesca ficará de prontidão, observando o animal e zelando pela sua segurança e também dos banhistas.

Migração e descanso

Esta esp√©cie aparece na costa brasileira principalmente de junho a outubro, quando migra de ilhas oce√Ęnicas localizadas em mares gelados em busca de alimenta√ß√£o em √°guas mais quentes. Muitas vezes, os lobos-marinhos param nas praias apenas para descansar da longa viagem e, depois de recuperados, voltam para o mar a fim de continuar seu percurso. Em outras ocasi√Ķes, est√£o machucados e precisam ser levados para cuidados em institui√ß√Ķes especializadas, a exemplo do Biopesca.

Na praia, a orientação da entidade é que as pessoas não se aproximem dos lobos-marinhos, para que eles possam descansar sem serem incomodados. Caso eles se sintam importunados e voltem ao mar antes de recuperar as energias, a sua chance de sobrevivência diminui.

O instituto

O Instituto Biopesca √© uma das institui√ß√Ķes executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produ√ß√£o e escoamento de petr√≥leo e g√°s natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Biopesca monitora o Trecho 8, compreendido entre Peruíbe e Praia Grande.

Para acionar o serviço de resgate de mamíferos, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados, ou mortos, entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 (horário comercial) ou (13) 99601-2570 (WhatsApp e chamada a cobrar).

Foto: Divulgação/Instituto Biopesca