PUBLICIDADE

Região / Meio Ambiente

PG utiliza imagens de satélite no combate a invasões e construções irregulares

Da Redação

A Prefeitura de Praia Grande está combatendo as invasões e construções irregulares em áreas públicas e de preservação ambiental. Os trabalhos efetuados pela Cidade contam com um importante aliado, um satélite da Polícia Federal que disponibiliza diariamente imagens das áreas que são monitoradas. O Município, que assinou convênio do Programa Brasil MAIS – Meio Ambiente Integrado e Seguro – com o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) relacionado ao serviço, é o primeiro da região a utilizar a moderna ferramenta.

O detalhamento dessa ferramenta, o cronograma de atuação de todas as secretarias municipais envolvidas nos trabalhos, a análise de dados das áreas monitoradas e a explicação do funcionamento da comissão especial municipal que trata do combate às invasões foram temas debatidos em reunião nesta sexta-feira (18), no Paço Municipal. Participaram do encontro a prefeita de Praia Grande, Raquel Chini; os secretários praia-grandenses de Habitação, Anderson Mendes; de Assuntos de Segurança Pública, Maurício Izumi; além de representantes de órgãos de segurança como das polícias Militar, Militar Ambiental, Civil, Guarda Civil Municipal (GCM), além dos grupamentos Ambiental e de Radiopatrulhamento Aéreo.

“A troca de informações, apoio e interface com as forças de segurança são fatores fundamentais para o desenvolvimento das ações que já estão em andamento e outras que serão efetuadas em breve. É importante deixar claro para as pessoas que querem se aproveitar de forma indevida dessas áreas que a Prefeitura de Praia Grande não deixará isso acontecer. Todos são bem-vindos na Cidade, desde que venham para cá de forma correta e sem infringir as leis e regras”, declarou Raquel Chini.

O convênio assinado por Praia Grande com a MJSP para utilização das imagens do satélite é válido por 60 dias. A partir desta primeira etapa de trabalho existe a possiblidade da prorrogação da parceria. O material funciona como base para avaliação dessas áreas monitoradas, sendo eficiente no mapeamento de novas construções irregulares.

O Município também utiliza as câmeras do Centro Integrado de Comando e Operações Especiais (Cicoe) neste monitoramento. São 28 equipamentos do tipo direcionados de forma específica para as áreas, algumas delas com a tecnologia OCR (sistema de reconhecimento). “O Cicoe tem um olhar ampliado devido toda sua estrutura e capaz de detectar essas movimentações nas áreas. Estamos lutando pelo bem da Cidade e qualidade de vida dos moradores”, comentou a prefeita.

Forças-tarefas

A Prefeitura criou uma comissão especial que levantou 18 áreas prioritárias de atenção, inseridas em 10 bairros da Cidade. São eles: Nova Mirim, Melvi, Antártica, Princesa, Ribeirópolis, Vila Sônia, Tupiry, Samambaia, Esmeralda e Cidade da Criança.

As próximas etapas dos trabalhos já foram definidas. Serão realizadas forças-tarefas para demarcação e identificação dos trechos, cadastramento dos atuais ocupantes e posterior congelamento das áreas. “Após estas ações ocorrerão novas etapas com a formatação de projetos na área social, habitacional, além da recuperação ambiental das áreas. Praia Grande tem o menor indicador de sub moradias da Região, abaixo da média estadual, tudo isso graças aos trabalhos de contenção de invasões. O que o Município está fazendo é intensificar essas ações”, disse o titular da Sehab, Anderson Mendes.

O major subcomandante do 3º Batalhão da Polícia Militar Ambiental, Marco Aurélio Ribeiro da Silva, elogiou a iniciativa da Prefeitura de Praia Grande de buscar a parceria com as forças de segurança para uma atuação integrada voltada à questão de invasões.

“Essas áreas de invasão não são apenas ocupadas por famílias carentes, o crime organizado também se faz presente. Agir de forma preventiva para evitar essas construções irregulares ou ainda, logo no início dessas ocupações, é fundamental para coibir esta prática. Praia Grande está no caminho certo. Será um case para toda região. Vamos intensificar essa parceria”, disse o subcomandante.

Foto: Divulgação/PMPG/Arquivo