PUBLICIDADE

Regi√£o / Meio Ambiente

Trabalhadores da Cetesb da Baixada Santista e do Vale do Ribeira est√£o em greve por tempo indeterminado

Da Redação

Atualizado às 16 horas

Os trabalhadores da Cetesb na Baixada Santista e no Vale do Ribeira estão em greve, por tempo indeterminado, desde zero hora desta terça-feira (22).

Em assembleia virtual realizada pela Diretoria do Sindicato dos Urbanit√°rios de Santos e Regi√£o (Sintius) na √ļltima segunda-feira (21), a categoria confirmou a deflagra√ß√£o do movimento paredista. O mesmo ocorrer√° em outras regi√Ķes do Estado.

Os trabalhadores decidiram cruzar os bra√ßos por causa da intransig√™ncia da dire√ß√£o da estatal nas negocia√ß√Ķes do novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Na avaliação do Sindicato, é inaceitável a empresa vinculada ao Governo do Estado não conceder reajuste salarial por dois anos à categoria, que atua em uma atividade essencial e tem um papel estratégico na sociedade.

O Sintius defende, no m√≠nimo, a reposi√ß√£o dos sal√°rios e dos benef√≠cios dos trabalhadores com base na infla√ß√£o acumulada nos √ļltimos 12 meses (7,79%, segundo o √≠ndice IPC-Fipe).

Para que não haja prejuízos à sociedade durante a greve, o Sintius montou uma escala de equipes para o atendimento de eventuais casos de emergência ambiental na Baixada Santista e no Vale do Ribeira.

Uma nova assembleia virtual está agendada para esta terça-feira, dia 22, às 19h, para avaliar a paralisação.

Outro lado

A Cetesb se posicionou, por meio de nota. Confira a íntegra:

A CETESB lamenta n√£o ter alcan√ßado entendimento com os sindicatos representativos das diversas categorias de seus empregados, o que culminou com a decis√£o de deflagrar um movimento de greve em plena pandemia da COVID-19.¬†¬†¬†A companhia reitera que sempre esteve aberta ao di√°logo com os sindicatos, e que realizou in√ļmeras reuni√Ķes com o prop√≥sito de chegar a um acordo condizente com a realidade econ√īmica do Brasil.¬†

A Companhia destaca que durante todo o per√≠odo da pandemia da COVID-19 nunca houve atraso ou suspens√£o nos pagamentos e nos benef√≠cios (Vale Refei√ß√£o, Vale Alimenta√ß√£o, Conv√™nio M√©dico, etc.) e todos os empregos foram mantidos, sem qualquer ocorr√™ncia de demiss√Ķes imotivadas, apesar da pandemia ter levado o pa√≠s a uma crise econ√īmica e social.¬†

¬†¬†Por conta do car√°ter essencial do servi√ßo prestado pela CETESB, o Vice Presidente Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 2¬™ Regi√£o determinou “(…) aos Sindicatos Requeridos que, na hip√≥tese de deflagra√ß√£o do movimento grevista, mantenham o percentual m√≠nimo de 70% da escala normal no √ļltimo m√™s, sob pena de multa di√°ria de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), cuja destina√ß√£o ser√° oportunamente decidida.” (grifamos e sublinhamos).¬†

At√© o presente momento os empregados est√£o cumprindo a determina√ß√£o e os servi√ßos prestados pela Companhia n√£o est√£o prejudicados”.¬†

Foto: Divulgação