PUBLICIDADE

Região / Polícia

Baixada Santista reduz roubos em geral, de cargas e de ve√≠culos em maio, segundo Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica

Da Redação

A Baixada Santista encerrou maio com queda nos roubos em geral, roubos de cargas e roubos de veículos. Os roubos em geral e de veículos foram os menores da série histórica, iniciada em 2001. De janeiro a maio, também houve recuo de estupros e todas as modalidades de roubos, com exceção dos a bancos, que permaneceram zerados.

A an√°lise dos dados criminais usa como refer√™ncia o m√™s de maio e os cinco primeiros meses de 2019, primeiro ano pr√©-pandemia em que n√£o houve restri√ß√£o da circula√ß√£o das pessoas. Nos √ļltimos dois anos, S√£o Paulo viveu um per√≠odo de grande isolamento social, causado pela pandemia do coronav√≠rus e que impactou diretamente na din√Ęmica criminal. Em 2020, a m√©dia de pessoas que permaneciam em suas casas, medida pelo Instituto de Pesquisas Tecnol√≥gicas (IPT), foi de 45%. J√° em 2021, o n√ļmero ficou em 42%. O √≠ndice de isolamento social, amplamente divulgado nos dois anos, foi calculado pelo IPT com base em informa√ß√Ķes sobre a movimenta√ß√£o de celulares, fornecidas pelas prestadoras de servi√ßos de telecomunica√ß√£o.

Na região, os casos de roubos de veículos apresentaram recuo de 155 para 68 boletins, fechando maio com 56,1% a menos. Este foi o menor total da série histórica, iniciada em 2001, sem considerar os anos de 2020 e 2021. A mesma tendência de queda foi percebida no acumulado do ano, que teve redução de 45,4%. Foram 674 casos em 2019 contra 368 em 2022.

Os homic√≠dios dolosos registraram quatro casos a mais, encerrando o m√™s passado com 14 registros. Com o resultado, a taxa de mortes intencionais dos √ļltimos 12 meses (de junho de 2021 a maio de 2022) ficou em 7,09 para cada grupo de 100 mil habitantes.

Em maio, os furtos de veículos oscilaram 37,8%, passando de 217 para 299 delitos. O aumento também aconteceu nos furtos em geral, que subiu de 2.502 para 2.525 ocorrências. Alta de 0,9%.

J√° os roubos em geral ca√≠ram 31,8% no m√™s passado. O n√ļmero de casos passou de 1.218 para 831 registros. Este foi o menor registro do indicador desde 2001, n√£o considerando 2020 e 2021. No acumulado do ano, tamb√©m houve recuo de 16,7%, passando de 6.439 para 5.366 boletins.

A região teve aumento de estupros. Foram 53 registros em maio de 2019, ante 63 em igual mês deste ano, alta de 18,9%. Do início do ano até maio, porém, houve ligeiro recuo de 0,4%, de 279 para 278 ocorrências.

Foi registrado um latrocínio em maio.

Ainda houve redu√ß√£o nos roubos de carga no quinto m√™s de 2022. O n√ļmero de casos passou de 36 para 15, queda de 58,3%. No acumulado do anp, a queda foi ainda maior, de 58,5%, passando de 212 casos para 88 no per√≠odo.

Os roubos a bancos permaneceram zerados, tanto no comparativo dos meses de maio quanto no do acumulado do ano.

Produtividade

O trabalho das pol√≠cias paulistas na Baixada Santista, no m√™s passado, resultou em 797 pris√Ķes e na apreens√£o de 44 armas de fogo ilegais. Tamb√©m foram registrados 157 flagrantes por tr√°fico de entorpecentes.

Foto: Arquivo