PUBLICIDADE

Região / Polícia

Suspeita de praticar comércio on-line de forma fraudulenta é presa em Praia Grande

Da Redação

Uma mulher foi presa em flagrante na noite de sexta-feira (26), em Praia Grande, suspeita de integrar uma organização que comercializava de forma fraudulenta por meio de plataformas digitais.

Segundo informa√ß√Ķes da 1¬™ Delegacia de Investiga√ß√Ķes Gerais da Deic, essa quadrilha comprava e vendia joias, celulares, smartwaches e outros aparelhos eletr√īnicos de alto valor.

Procurados por v√≠timas que se sentiram lesadas, os policiais iniciaram as investiga√ß√Ķes e identificaram os respons√°veis pela administra√ß√£o de perfis falsos nas redes sociais. E ap√≥s a expedi√ß√£o de um mandado de busca e apreens√£o, uma equipe entrou no im√≥vel da suspeita, no bairro Boqueir√£o.

Assim que os investigadores entraram na residência, a suspeita tentou desligar os computadores e quebrar um celular. Ela foi imediatamente detida e impedida de destruir as provas.

Analisando os aparelhos eletr√īnicos e as anota√ß√Ķes dos registros financeiros de compra e venda de mercadorias, os policiais puderam constatar in√ļmeros crimes praticados pela investigada, como uso de documento falso, estelionato, participa√ß√£o em organiza√ß√£o criminosa e lavagem de dinheiro.

Al√©m dos produtos eletr√īnicos, os policiais apreenderam m√°quinas de cart√Ķes de cr√©dito, perfumes importados, boletos banc√°rios falsificados, tal√Ķes de cheque, 10 celulares, 60 chips de celular, 12 pares de fones de ouvido sem fio, joias, cart√Ķes banc√°rios, receitu√°rios m√©dicos em branco, cart√Ķes de visita e sacolas de uma suposta loja de artigos importados utilizada de fachada para lavagem de dinheiro.

Al√©m da apreens√£o desses produtos, os policiais localizaram anota√ß√Ķes de n√ļmeros de CPF e dados pessoais de v√≠timas que eram utilizados pela suspeita para obten√ß√£o indevida de aux√≠lio emergencial.

Ainda segundo a Pol√≠cia Civil, todo o material apreendido vai auxiliar as investiga√ß√Ķes para identificar os demais respons√°veis pela organiza√ß√£o criminosa. A suspeita foi conduzida ao c√°rcere.

Foto da capa: Divulgação/Deinter 6