PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Após 1ª morte por chikungunya em 2021, Prefeitura de Santos faz apelo à população

Da Redação

A Prefeitura de Santos faz um apelo para que a população colabore no combate ao mosquito Aedes aegypti. A preocupação aumentou após o registro da primeira morte neste ano por chikungunya, uma das doenças transmitidas pelo inseto. O óbito foi confirmado na terça-feira (6) pela própria Administração Municipal. A vítima foi um homem de 87 anos, morador do bairro Macuco.

Santos vem enfrentando um alto √≠ndice de novos casos de dengue e chikungunya. Para se ter uma ideia, no per√≠odo de janeiro a mar√ßo deste ano, houve 137 notifica√ß√Ķes de dengue, 75,9% a mais do que o registrado nos tr√™s primeiros meses de 2020 (38). Os n√ļmeros da chikungunya s√£o ainda piores. No ano passado foram registrados apenas dois casos no primeiro trimestre, ambos em mar√ßo. Em 2021, o total j√° √© de 585.

Outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti são a zika e a febre amarela urbana, mas não houve nenhum registro em Santos neste ano. No caso da febre amarela, não há casos na cidade desde a década de 1940.

Levantamento da Se√ß√£o de Controle de Vetores, da Secretaria Municipal de Sa√ļde, mostra que em 2020 a maior parte dos recipientes onde foram encontrados focos com larvas est√£o nas resid√™ncias das pessoas. Brom√©lias e vasos de planta na √°gua s√£o os mais comuns, mas outras situa√ß√Ķes chamam a aten√ß√£o dos agentes como vasos sanit√°rios destampados e caixas de descargas, ralos, pratos de plantas e pingadeiras, bandeja de geladeira e ar-condicionado, baldes e regadores, bebedouros de animais al√©m de materiais e entulhos de constru√ß√£o.

Nos 28 mutir√Ķes realizados em 2020, os agentes de combate a endemias eliminaram 1.489 focos com larvas. Neste ano, em nove mutir√Ķes, foram 855 focos com larvas, mais que a metade do ano anterior em 19 edi√ß√Ķes a menos.

‚Äú√Č necess√°rio que a popula√ß√£o nos ajude e fa√ßa uma vistoria dentro da sua casa, eliminando os locais onde possa haver √°gua parada e at√© criadouros com larvas. Precisamos do engajamento de todos para diminuir a prolifera√ß√£o do mosquito e, consequentemente, a transmiss√£o da chikungunya e da dengue‚ÄĚ, afirma Adriano Catapreta, secret√°rio municipal de Sa√ļde.

Sinais e sintomas
Os mais comuns de dengue s√£o: febre, n√°useas e v√īmitos, manchas pelo corpo, dores musculares, dores nas juntas, dores de cabe√ßa, dores nos olhos, pequenos hematomas. Sinais de alarme: Dor abdominal, v√īmitos persistentes, √°gua no pulm√£o, sangramento de mucosas, sonol√™ncia e letargia, press√£o baixa.

Os sinais e sintomas de chikungunya s√£o: febre, n√°useas e v√īmitos, olhos avermelhados, pele avermelhada, dores articulares bilaterais (dor no joelho direito e esquerdo simultaneamente, por exemplo), dores de cabe√ßa.

A Prefeitura orienta pessoas que apresentem sinais e sintomas de dengue ou chikungunya para que procurem a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima para serem avaliadas pelo médico. Após o primeiro atendimento, os pacientes que não necessitarem de internação recebem, na UPA, um cartão de acompanhamento e passam a ser assistidos a cada 48 horas na policlínica de referência do bairro em que moram.

O servi√ßo estar√° dispon√≠vel de segunda a sexta-feira, das 14h √†s 16h. O objetivo √© monitorar os pacientes que devem continuar o tratamento em casa, reavaliar suas condi√ß√Ķes cl√≠nicas e sintomas, de forma a evitar que evoluam negativamente. A coleta para exame de identifica√ß√£o das doen√ßas deve ser realizada ap√≥s o 7¬ļ dia de sintoma, quando inicia o per√≠odo mais sens√≠vel de identifica√ß√£o dos anticorpos.

Foto da capa: Divulgação/Isabela Carrari РPrefeitura de Santos