PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Bons exemplos: cores e desenhos levam vida ao Centro de Santos

Da Redação

Quem caminha pelas ruas do Centro de Santos já percebeu a mudança. Cores, desenhos e formas artísticas deram um novo tom às ruas do bairro, onde o projeto Mais Cores é executado ressaltando a beleza, a sensibilidade e enaltecendo o regionalismo ao explorar temas como o café, o caiçara, praias, gírias, morros, história e o Porto de Santos.

Os responsáveis pela iniciativa, Érico Bomfim e Leonardo Leite (Preo), contam que a ideia surgiu da necessidade de colorir o Centro de Santos. A Prefeitura passou a informar aos coordenadores quais eram as ruas autorizadas e aquelas que não podiam receber o projeto. “O Rivaldo (Santos – ouvidor público) e o Glaucus Farinello (arquiteto e urbanista que assumiu neste ano a Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Santos) nos procuraram para pensarmos em algo. Inicialmente era para pintar na esquina das ruas Itororó com a Amador Bueno, onde acontece uma feira aos sábados. Porém, fomos além e pensamos em agregar mais artistas e utilizar o cruzamento de mais ruas e atingir a Rua João Pessoa também”, relatam.

 - REVISTA MAIS SANTOSO grupo fez um levantamento de pontos considerados chaves, fazendo a contagem do número de postes e lixeiras, locais que receberiam a arte produzida por artistas locais. “Andamos a pé pelo Centro e mapeamos alguns locais. Fizemos a contagem de postes e lixeiras para execução e montagem do projeto, que iniciou no começo de dezembro. Fomos pintando os postes apenas das cores que representariam os temas. Afinal o projeto estava separado por temas, cores e artistas”, relata.

Os responsáveis priorizaram o convite a artistas locais, chamados de “Santistas da Gema”, para que pudessem colocar suas ideias em prática. “Selecionamos os que atuavam com arte urbana e que já possuem uma história de respeito na Cidade. Porém, deixamos um dos temas para os novos, que estão iniciando, mas que já atuam com artistas pelas ruas. Alguns não estavam acostumados, mas também não tinham problemas em atuar”, reforça.

O projeto recebeu apoio da Prefeitura, pois há uma parceria entre a Administração Municipal e a Câmara de Dirigentes Lojistas para viabilizar custos e apoio financeiro. “Tivemos também uma ajuda na área de pesquisa para alguns temas; o Sérgio Willians (presidente do Instituto Histórico) foi o grande responsável por nos dar informações, imagens etc”, descreve.

Futuro
O cronograma do projeto Mais Cores deve seguir até o início do ano e, depois, expandir a proposta para outros pontos da Cidade. “Não só pelo Centro e nem sempre os mesmos artistas; a ideia é chamar outros artistas e deixar a Cidade mais artística, mais colorida, bonita, mais alegre e por ai vai, atingindo bairros onde a arte não chega. Se pudermos atingir os quatro cantos, melhor!”, planeja.

Fotos: Divulgação/Rosana Anjos