PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Santos alerta para conscientização e prevenção ao suicídio

Da Redação

O alerta pode vir de várias formas. Quase silencioso, às vezes. Ou dissimulado em frases do tipo ‘não sirvo para nada’, ‘não estou feliz’ ou ‘a vida não vale a pena’. Se ouvir alguém com esse discurso, revelando uma insatisfação, é hora de incentivar esta pessoa a procurar ajuda. Ela pode estar pensando em suicídio. E esse alerta é reforçado nesta sexta-feira, 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

No final deste mês, lembrado como Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio, a Secretaria de Saúde de Santos apresentará uma publicação com orientações sobre o tema. Os dados da rede municipal apontam que, no Município, houve 22 suicídios em 2019; 31, em 2020; 13 este ano.

COMO PROCEDER?

E, quando identificada a questão, como o santista pode proceder? Na rede pública, o atendimento em saúde mental se estrutura na Rede de Atenção Psicossocial, que tem como objetivo o atendimento mais próximo da casa do usuário. Segundo explica Paulo Muniz, coordenador da Saúde Mental, a policlínica do bairro em que a pessoa reside pode fazer o primeiro atendimento, avaliar o nível de gravidade e iniciar o cuidado de casos de ansiedade, melancolia, tristeza e depressão considerados leves (quando a causa é conhecida, geralmente relacionada a um luto, como perda de alguém ou do emprego, por exemplo).

Quando não há explicação clara para a melancolia e tristeza, com sofrimento para a pessoa e para a sua família, e o caso for considerado grave, a melhor opção são os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que atendem a transtornos mentais mais graves. Nesses locais, as pessoas podem ir espontaneamente ou por encaminhamento. Deve-se buscar sempre a unidade mais próxima da sua residência.

Já nos casos de crise aguda, quando um paciente de saúde mental está em crise, colocando em risco a própria vida ou de outra pessoa, deve-se acionar o Samu pelo telefone 192, cuja equipe está preparada para o atendimento de crises agudas ou por uso abusivo de substâncias psicoativas, destaca o coordenador. O paciente é encaminhado a uma UPA para estabilização clínica. Havendo necessidade, o paciente é encaminhado para o Complexo Hospitalar da Zona Noroeste, que realiza avaliação psiquiátrica em situação de crise.

Endereços dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps)

Atendimento infantojuvenil
Caps Infantojuvenil T̫ Ligado РRua Campos Melo, 298, Encruzilhada.
Caps Infantojuvenil Entrementes da Zona Noroeste РPra̤a Maria Coelho Lopes, 395, Santa Maria
Caps Infantojuvenil #tamojunto – Av. Pinheiro Machado, 769, Campo Grande

Atendimento adulto
Centro de Aten̤̣o Psicossocial da Zona Noroeste РRua Bulc̣o Viana, 853, Bom Retiro
Centro de Aten̤̣o Psicossocial Centro РAvenida Conselheiro Rodrigues Alves, 236, Macuco
Centro de Aten̤̣o Psicossocial Praia РAv. Cel. Joaquim Montenegro, 329, Ponta da Praia
Centro de Aten̤̣o Psicossocial da Vila РAv. Pinheiro Machado, 718, Marap̩
Centro de Atenção Psicossocial Orquidário – Avenida Francisco Glicério, 661, José Menino
Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas – Rua Silva Jardim, 354, Macuco

imagem: Victoria Borodinova/Pixabay