PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Tudo na nuvem para seus dados não voarem

Por Ted Sartori
Da Revista Mais Santos

Mailson de Carvalho trabalhava como digitador em uma contabilidade. O intenso cotidiano entre palavras e números fez com que ele percebesse a importância dos dados serem preservados. “Sempre imaginava que todo o meu trabalho poderia ser perdido se não houvesse os cuidados necessários”, lembra.

A percepção transformou-se em 2007 na PrussiaTI Tecnologia Ltda, em Santos, da qual Mailson é diretor técnico. Colocar informações na nuvem, como é chamado este es- paço virtual, a partir de poderosos servidores, virou uma necessidade de muitas empresas. A prática foi intensificada com a pandemia, responsável por transformar de vez o mundo digital em essencial.

“O aumento foi mais de 100%. Tivemos uma procura enorme. Os dados ficam em data centers redundantes que preservam a informação. Em questão de dias, as empresas tiveram que se adaptar a deixar os colaboradores em casa, trabalhando em sistema home office. Essa abertura ao acesso remoto deixou muitos sistemas vulneráveis a ataques. Por isso, atendemos muitas empresas com a preocupação de preservarem seus dados. É algo vital para qualquer negócio”, explica Mailson.

O profissional lembra que as empresas mais sensíveis a este tipo de serviço são as que lidam com dados de terceiros, casos de uma contabilidade, como no caso do antigo emprego de Mailson, e advocacias. “Elas, como outras, dependem de um sistema que é alimentado diariamente. Perder os dados teria um impacto ao seu negócio e aos que ela atende”, completa.

“Costumo dizer aos clientes que computador tem preço, enquanto informação tem valor. Muitas empresas não estão cientes dos riscos que correm. Não perceberam que a tecnologia evoluiu e o quanto são dependentes de sistemas e informações”, emenda.

A importância de se ter os dados na nuvem é maior ainda, levando em conta uma série de situações as quais estão sujeitas no cotidiano os equipamentos, como lembra o diretor técnico da PrussiaTI Tecnologia. “Se o HD fica conectado ao servidor, quando há contaminação por vírus esse HD de backup também será infectado e os dados, perdidos. Já se o backup é feito por HD externo, que é descnonectado e guardado na empresa, pode ocorrer um incêndio, furto ou alagamento e os dados serem perdidos. Já se o backup é feito por algum funcionário, um dia ele pode esquecer disso e os dados serem perdidos”, lista.

Mailson comenta que o backup seguro é feito de forma automatizada, com os dados subindo para a nuvem e sendo atualizados diariamente. “A nuvem é segura pela seguinte situação: caso ocorra furto, roubo, incêndio, alagamento ou qualquer dano físico ao servidor, como problemas de componentes ou elétricos, os dados estão seguros, fora do ambiente da empresa. Desta forma, o restauro é feito em qualquer lugar e em questão de minutos. Essa é a tranquilidade que passamos aos nossos clientes e só assim eu consigo ter um sono tranquilo”, explica.

Para quem pensa que esse tipo de serviço é destinado apenas às grandes corporatções, a realidade não é bem assim. “Sessenta por cento dos nossos clientes são empresas que tem até 15 computadores. O custo é pequeno perto da dor de cabeça de perder os arquivos”, afirma Mailson. A PrussiaTI Tecnologia pode ser contactada através do site: prussiati.com.br ou das redes sociais: @prussiati.

Foto: