Porto 

Nesta semana, a Superintendência do Porto de Itajaí foi comunicada através de Ofício encaminhado pela Delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí, quanto as recomendações para revisão dos parâmetros de operação portuário ao longo do Complexo Portuário de Itajaí, mediante apresentação de levantamentos batimétricos junto aos Serviços de Praticagem e Marinha do Brasil no último dia 30 de agosto e 05 de setembro.

Os resultados de novas batimetrias (medição da profundidade dos oceanos, lagos e rios), realizada por empresa contratada pela Superintendência do Porto de Itajaí, avaliou os resultados em todo acesso aquaviário, incluindo berços de atracação, bacias de evolução, canal interno e canal externo.

De acordo com os serviços de Praticagem e homologação da Autoridade Marítima (Marinha), os resultados foram avaliados com base nos trabalhos de dragagem de manutenção realizados constantemente.

No canal externo e interno, as profundidades mínimas chegaram a 14,10 m e 14,00 metros. Nos trechos 1 e 2 da Bacia de Evolução, as profundidades registraram a marca de 14,00 metros, e nos quatro berços do Porto de Itajaí (APMT e porto público), as profundidades também se igualaram registrando 14,00 metros.

A notícia agradou a todos que atuam diretamente no Complexo Portuário, e, principalmente ao Porto de Itajaí, pois estes índices, são os melhores já divulgados em toda a história de medições de profundidade, que consequentemente refletem em melhoria no calado operacional.

“O Porto de Itajaí é considerado o porto de maior representatividade no Estado de Santa Catarina e o segundo do país em movimentação de cargas. Com estes resultados positivos, daremos sequência aos bons números que estamos conquistando mensalmente, a exemplo da nova sinalização náutica de acesso ao complexo e o término da primeira etapa das obras da Bacia de Evolução, entre outras ações que alavancam nossa economia, acima de tudo é dever nosso em garantir segurança aos armadores, pois somos um dos melhores portos do país para o tráfego de embarcações”, destacou Fábio da Veiga, Superintendente do Porto de Itajaí.

Os resultados do calado operacional do Porto de Itajaí também surpreenderam o Prefeito Volnei Morastoni: “É uma notícia excelente para o trade portuário de Itajaí. Prova disso é o eficiente trabalho de dragagem que vem sendo realizado. Com o avanço de profundidades podemos dar maior segurança de navegabilidade para os navios e com isso agregar melhores movimentações de cargas e com isso destacando um bom desempenho econômico para o município de Itajaí”, pontuou.

A Superintendência do Porto de Itajaí tem um contrato de cinco anos (2019-2023), com a empresa VanOord para os serviços de dragagem do canal de acesso (manutenção). Trata-se de uma empresa holandesa com mais de 150 anos de história e experiência no mercado internacional de dragagens com um hall de equipamentos extensos, estando entre as melhores do mundo. Com a dragagem de manutenção constante, muitos são os aspectos positivos de acordo com os resultados obtidos pelas medições atuais:

“Sem dragagem não existe porto. A profundidade natural do Rio Itajaí-Açú é de 7 metros e temos mantido a profundidade do rio na faixa de 14 metros. Com esse índice de profundidade, as embarcações podem atracar com segurança de navegação no Porto de Itajaí e Complexo Portuário num todo. Isso contribui com a movimentação anual de contêiner ultrapassando a faixa de mais de 1 milhão de contêineres (TEUs – contêiner de 20 pés), gerando lucro, renda e principalmente empregos para toda região. Acima de tudo, é uma dragagem que tem licença ambiental, tem autorização da Marinha e todas as autorizações que se aplicam a ela”, conclui André Luiz Pimentel Leite da Silva Junior – Diretor Técnico da Superintendência do Porto de Itajaí.

A draga tem um PGRS – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, que obedece ao licenciamento de dragagem de manutenção e tem a obrigação de cumprir com as normas mediante contrato. A previsão de volume de dragagem anual é na ordem de 3 milhões e 100 mil metros cúbicos por ano. Esse montante acumulado tem que ser anualmente vencido para vencer as cotas de navegação de 14 metros como prevê o contrato.

 

 

 

Fonte e foto: Portos e Navios

saiba antes via instagram @revistamaissantos