PUBLICIDADE

Santos / Economia

Justiça mantém recuperação judicial da Avianca

O Tribunal de Justi√ßa de S√£o Paulo decidiu hoje (10) manter o plano de recupera√ß√£o judicial da companhia a√©rea Avianca Brasil. O caso foi julgado pela C√Ęmara Reservada de Direito Empresarial. Por maioria de votos, os magistrados rejeitaram um recurso protocolado pela empresa de servi√ßos aeroportu√°rios Swissport, que contestou decis√£o de primeira inst√Ęncia que aprovou o plano de recupera√ß√£o da a√©rea.

Em dezembro do ano passado, a Avianca Brasil entrou em processo de recupera√ß√£o judicial. Em seguida, a empresa a√©rea passou a cancelar voos e, devido √† falta de pagamento do aluguel das aeronaves, devolveu os avi√Ķes √†s empresas de leasing.

Em agosto desse ano, a Ag√™ncia Nacional de Avia√ß√£o Civil (Anac) autorizou a opera√ß√£o no aeroporto das empresas Passaredo e Map de slots, autoriza√ß√Ķes de pousos e decolagens no terminais, que pertenciam a Avianca, que suspendeu as opera√ß√Ķes em maio. Com a decis√£o efetuada ontem (14), dos 41 slots da Avianca, a MAP vai operar 12; a Azul 15, e a Passaredo ficou com 14. Todos eles, nos hor√°rios que eram operados pela Avianca Brasil na pista principal.

“A aprova√ß√£o ocorreu ap√≥s an√°lise realizada em conjunto com o Centro de Gerenciamento da Navega√ß√£o A√©rea (CGNA) dos requisitos operacionais e de performance das aeronaves das empresas a√©reas. Ap√≥s a aprova√ß√£o, as empresas poder√£o iniciar a oferta de voos de acordo com os hor√°rios alocados e as rotas registradas”, disse a Anac.