PUBLICIDADE

Internacional

Com santista no grupo, Itália conquista Eurocopa nos pênaltis

Da Agência Brasil

Ap√≥s 53 anos do seu primeiro – e at√© hoje √ļnico – t√≠tulo da Eurocopa, a It√°lia voltou a sentir o gostinho de ser campe√£ continental de sele√ß√Ķes. E foi com brio: jogando em territ√≥rio advers√°rio, a Azzurra saiu atr√°s da Inglaterra logo no come√ßo da partida, mas igualou no segundo tempo e venceu nos p√™naltis (3 a 2), contando com duas defesas do goleiro Gianluigi Donnarumma. Um santista faz parte do grupo, o lateral Emerson Palmieri.

Jogando em casa, no Est√°dio Wembley, em Londres, diante de um p√ļblico de mais de 67 mil pessoas, a Inglaterra viu o jogo come√ßar da melhor forma poss√≠vel. Antes de se completarem dois minutos de partida, Trippier cruzou da direita e Luke Shaw pegou de primeira, do outro lado do campo, para completar para o gol, contando com um leve desvio na trave direita italiana.

A vantagem precoce no placar permitiu aos ingleses adotar uma postura mais cautelosa, procurando reagir às investidas italianas. Quando aconteceram, elas pararam no goleiro Jordan Pickford, um dos destaques da final.

Mas Pickford não conseguiu conter um insistente ataque italiano aos 22 da segunda etapa. Após cobrança de escanteio, Verratti cabeceou, o goleiro fez boa intervenção, a bola resvalou na trave e sobrou para Bonutti, na pequena área, completar para as redes.

A igualdade no placar se estendeu até o fim do tempo regulamentar e dos 30 minutos da prorrogação, com os dois times preferindo não se arriscar. Tudo ficou para as penalidades.

Pickford foi o primeiro a defender uma cobran√ßa (de Belotti). Dois jogadores que entraram especificamente para cobrar p√™naltis pela Inglaterra, Rashford e Sancho, desperdi√ßaram as cobran√ßas – o √ļltimo sendo parado por Donnarumma. O brasileiro naturalizado italiano Jorginho, que havia convertido a √ļltima cobran√ßa na semifinal contra a Espanha, poderia dar a vit√≥ria √† It√°lia, mas tamb√©m foi parado por Pickford. No entanto, na cobran√ßa seguinte, Donnarumma foi um muro mais uma vez, detendo o chute de Saka e dando o t√≠tulo √† It√°lia.

O goleiro do Milan frustrou os planos de milhares de ingleses, que esperavam testemunhar o primeiro t√≠tulo europeu da Inglaterra na hist√≥ria. A It√°lia, campe√£ em 1968, chegou ao segundo trofeu pelas m√£os de Donnarumma e p√©s de Bonucci, eleito o melhor jogador da decis√£o. A sele√ß√£o italiana ainda mant√©m uma invencibilidade de 34 partidas, se aproximando de um recorde mundial do futebol de sele√ß√Ķes: entre 1993 e 1996, o Brasil ficou 36 partidas sem ser derrotado.