PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Presos de SP mantêm estudos mesmo em meio à pandemia

Da Redação

Mesmo durante a pandemia de Coronavírus, 17.388 reeducandos do sistema prisional paulista têm mantido os estudos em dia. Na Baixada Santista, 287 presos realizam estudo formal em trtês  unidades prisionais, instaladas em Mongaguá e São Vicente.

Matriculados nos ensinos Fundamental e M√©dio, eles est√£o inseridos no Programa de Educa√ß√£o nas Pris√Ķes, da Secretaria da Administra√ß√£o Penitenci√°ria (SAP). Para isso, as aulas presenciais, que ocorrem em 149 pres√≠dios, foram substitu√≠das por roteiros de estudo impressos, compostos por conte√ļdo das diversas disciplinas e suas respectivas atividades.

 - REVISTA MAIS SANTOS

Os materiais são produzidos pelos próprios professores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) que ministram aulas nas unidades prisionais. Os reeducandos ficam vinculados a essas escolas, daí o nome escola vinculadora.

Para estudar, os alunos podem ainda consultar os livros usados na Educa√ß√£o de Jovens e Adultos (EJA), dispon√≠veis na unidade. Antes da chegada dos roteiros de estudo, a SEDUC elaborou especialmente e enviou para estes reeducandos um kit denominado “Aprender Sempre”. Este foi composto por gibi, livro e um guia de leitura, destinados aos anos iniciais do ensino fundamental; e por fasc√≠culos de matem√°tica e portugu√™s, para os anos finais do ensino fundamental e ensino m√©dio.

Quando as atividades dos roteiros de estudo s√£o conclu√≠das pelos sentenciados, as li√ß√Ķes s√£o devolvidas aos professores para corre√ß√£o, lan√ßamento de frequ√™ncia escolar e monitoramento do aprendizado. Tanto o envio como a chegada dos roteiros √†s unidades seguem um rigoroso procedimento de higiene, respeitando um per√≠odo de quarentena at√© que comecem a ser manuseados.

√Ä frente da SAP, Coronel Nivaldo Cesar Restivo explica que a Pasta adotou diversas medidas emergenciais nas 176 unidades prisionais, diante da grave crise de sa√ļde enfrentada no Pa√≠s. Dentre elas, suspendeu algumas rotinas nos estabelecimentos, como as aulas presenciais. “O estudo faz parte de todo um processo de ressocializa√ß√£o do reeducando e que a Secretaria tem como miss√£o preservar”, observa.

Ap√≥s an√°lise conjunta entre SAP, Secretaria da Educa√ß√£o e Funda√ß√£o “Prof. Dr. Pedro Pimentel (Funap), entidades que cuidam da educa√ß√£o de presos, foi poss√≠vel estabelecer a nova modalidade de estudo n√£o presencial em maio. De acordo com a Lei de Execu√ß√£o Penal, a cada 12 horas de frequ√™ncia escolar, o preso poder√° remir 1 dia de sua pena.

Fotos: Divulgação/SAP