PUBLICIDADE

Região / Saúde

Menina indígena de 10 anos é a primeira a ser vacinada contra Covid em São Vicente

Da Redação

A menina indígena Lauana Gabriel Jâxuká Rêté, de 10 anos, da etnia Guarani Mbyá, foi a primeira criança de São Vicente a ser vacinada contra a Covid-19, dentro do plano de imunização de menores de 5 a 11 anos. Ela reside em uma aldeia na cidade. “Estou me sentindo muito feliz e protegida. Nunca vou esquecer deste dia”, disse.

O momento histórico aconteceu na manhã desta segunda-feira (17), na UBS Bitaru, no Parque Bitaru, dando início à imunização no município, por meio da Secretaria de Saúde de São Vicente.

Encantado ao ver a neta vacinada, o avô de Lauana, Ronildo Amandios, não escondeu sua emoção. “É um momento de alegria e satisfação perceber que o Município tem essa preocupação com as crianças indígenas. Agradeço muito à Secretaria de Saúde por zelar pela saúde dos pequenos.”

“Nem dormi nessa noite, pois estava bastante ansiosa por este momento. Além de ter autismo, meu filho possui problemas respiratórios. Portanto, é muito importante ele tomar a vacina, até para poder retornar à escola com segurança, que além da saúde, é o mais importante”, festejou Amanda Quaresma, mãe do pequeno Miguel, de 6 anos.

O primeiro grupo a receber as doses é de crianças com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas. Seis postos de saúde vão disponibilizar a vacina de segunda a sexta, das 9 às 16 horas.

Área Insular

– ESF Sá Catarina de Morais (Rua Travessa do Parque s/n);
– ESF Esplanada dos Barreiros (Av. Brasil s/n);
РESF Bitaru (Rua Agostinho Pereira Pinto J̼nior s/n).
Área Continental

– ESF Humaitá (R. Maria Rocco, 311);
– ESF Ponte Nova (Rua Salvador s/n);
– ESF Parque das Bandeiras (Rua Luiz Gonzaga Lopes, 57 ).

Essas unidades, a partir de segunda-feira (17), passam a vacinar somente crianças contra a Covid-19. As demais vacinas, como a de Covid para adultos e as de rotina, devem ser procuradas nos postos mais próximos dessas unidades.

Para receber a dose, o responsável deve apresentar um laudo médico indicando qual tipo de doença ou condição a criança tem.

Outro detalhe importante é que o responsável pelo menor pode fazer o pré-cadastro no vacinaja.sp.gov.br antes da vacinação. Quem não conseguir, deverá fazer na hora, com a apresentação do cartão SUS.

“Chegou o momento tão esperado pelos pais, que é o de imunizar nossas crianças. Assim como fizemos com a vacinação dos adultos, vamos concentrar nossos esforços, com muito carinho e cuidado, para que a vacinação delas aconteça de forma tranquila e rápida. Não pouparemos esforços para que todas as crianças vicentinas estejam imunizadas o mais breve possível”, declara Michelle Santos, secretária da Saúde.

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo classifica como comorbidades: insuficiência cardíaca; cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndrome coronariana; valvopatias; miocardiopatas e pericardiopatas; doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; talassemia; síndrome de Down; diabetes melittus; pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3; hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão e órgão alvo; doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos); anemia falciforme; obesidade mórbida; cirrose hepática e HIV.

Foto: Cynthia Rocha/Seicom/Prefeitura Municipal de São Vicente