PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Bueiro em desnível em Santos causa queda e lesões em psicóloga: “Não desejo isso a ninguém”

Da Redação

Acostumada a trazer alegria para quem a conhece, Claudia Alonso está triste. Conhecida por integrar o Projeto Tam Tam, instituição que usa a dança, o teatro e a poesia como ferramentas de inclusão de pessoas com síndromes e deficiências, a psicóloga sofreu uma grave queda, em razão do desnível de um bueiro em relação à calçada, que a impede neste momento de trabalhar.

 - REVISTA MAIS SANTOS

“Não estou podendo atender meus meninos no projeto, ainda mais neste momento em que estamos restabelecendo relações. Estávamos fazendo encontros semanais na praia e não vou poder fazer isso. Tinha visitas monitoradas na Pinacoteca (Benedicto Calixto, em Santos) para o Natal e não vou poder fazer. É desesperador. E a morte. Estou inválida. Agora estou podendo falar disso melhor, mas me senti impotente e projetei como se fosse minha mãe caindo – e ela mora perto – ou qualquer outra pessoa idosa. Se fosse, tinha morrido”, contou, em entrevista ao Portal Mais Santos.

 - REVISTA MAIS SANTOS

A queda de Claudia Alonso aconteceu na noite de sexta-feira (19), na Avenida General San Martin, o Canal 7, na Ponta da Praia, em Santos. Ela fraturou a fíbula, osso que dá base ao tornozelo, e está proibida de colocar o pé direito no chão. “Como eu caí de lado, meu joelho esquerdo está bem inchado, roxo e ralado. E o meu rosto também foi para o chão. O lado esquerdo da face está bem melhor, mas segue todo ralado também, perto do olho”, descreve.

 - REVISTA MAIS SANTOS

A psicóloga saiu caminhando da Rua Egídio Martins, onde reside, até um estabelecimento no Canal 7 para comprar açaí. Ao lado, há uma academia de crossfit, que estava fechada. Entre esses locais, o desnível. “Estava andando, o pé pensando que tinha chão e, de repente, não tinha. Quando vi, estava com a cara no chão. Foi muito assustador. Na hora, não consegui entender o que havia acontecido. Achei que tinha tido um mal súbito, um AVC ou uma convulsão. Só entendi depois que fui ajudada pelos funcionários”, conta.

Além das lesões, Claudia ainda vomitou muito e a mente sofreu demais, tanto quanto o corpo. “Senti não sei quantos metros para baixo. Eu voei. Fiquei muito nervosa. Chorei muito. A gente se sente um nada. Não desejo isso para ninguém”, desabafou a psicóloga.

O Portal Mais Santos entrou em contato com a Prefeitura para saber a respeito do assunto. Eis a nota:

“A Prefeitura esclarece que o tampão localizado na Av. Gal. San Martin (canal 7), defronte ao n° 106A, é de um poço de visita (PV) de rede de esgoto da Sabesp.

A fiscalização municipal deverá fazer a vistoria na calçada, que é de responsabilidade do dono do imóvel. Caso constate que o desnível é advindo de acesso da Sabesp, abrirá processo para oficiar a concessionária”.

Foto: Reprodução Redes Sociais e Google Maps