PUBLICIDADE

Região / Polícia

Deic de Santos prende Léo do Moinho, uma das lideranças do tráfico na Capital; ele estava em Praia Grande

Da Redação

A Pol√≠cia Civil, por meio da Divis√£o Especializada de Investiga√ß√Ķes Criminais (Deic) de Santos, prendeu L√©o do Moinho na tarde desta quarta-feira (24), em Praia Grande.

Ele é uma das lideranças de uma organização criminosa, responsável pelo tráfico de drogas da comunidade conhecida como Favela do Moinho.

A Favela do Moinho √© um dos principais centros de armazenamento de drogas instalado no Centro da Capital, sendo ela a principal fonte de abastecimento da regi√£o conhecida como Cracol√Ęndia, onde diversos traficantes realizam o com√©rcio de drogas e se utilizam dos usu√°rios que ali se encontram como forma de prote√ß√£o contra a a√ß√£o das for√ßas de seguran√ßa p√ļblica.

O homem foi detido em cumprimento a ordens judiciais de busca e apreensão e de recaptura, já que ele se encontrava foragido do sistema penitenciário após ter sido beneficiado com uma saída temporária no primeiro semestre.

‚ÄúNa √©poca da sua pris√£o, realizada pelo Denarc [Departamento Estadual de Preven√ß√£o e Repress√£o ao Narcotr√°fico], ele era o n√ļmero 2 da fac√ß√£o naquela regi√£o [Capital]. Al√©m de grande influ√™ncia no tr√°fico de entorpecentes, ele √© respons√°vel pela pr√°tica de roubo e crimes de homic√≠dio, inclusive de um socorrista que ingressou na comunidade para prestar apoio a pessoa necessitada, foi confundido com um criminoso de fac√ß√£o rival, e por determina√ß√£o desse indiv√≠duo, foi brutalmente assassinado‚ÄĚ, disse o delegado Francisco Ant√īnio Venceslau, da 1¬™ DIG/Deic, durante entrevista coletiva.

Durante o monitoramento do criminoso, uma ordem de busca e apreensão foi solicitada à Justiça e cumprida em momento apropriado. O homem foi detido em um apartamento de luxo, onde vivia com sua companheira. Depois dos procedimentos de polícia judiciária, foi encaminhado ao cárcere onde permanece à disposição da Justiça. Ainda de acordo com o delegado, o homem vivia recluso e usava identidade falsa, fingindo ser um empresário bem-sucedido.

‚ÄúFaz parte da nossa filosofia de trabalho o enfrentamento diuturno √† criminalidade organizada, principalmente aquela liderada por meio de organiza√ß√£o de grande express√£o. Essa pris√£o nos deixa satisfeitos. O Estado cumpriu o seu papel‚ÄĚ, concluiu Venceslau.

Foto: Reprodução internet