PUBLICIDADE

Santos / Porto

Movimenta√ß√£o de cont√™ineres nas instala√ß√Ķes portu√°rias brasileiras cresce 3% de janeiro a setembro

A movimenta√ß√£o de cont√™ineres, considerando-se todas as navega√ß√Ķes, cresceu 3% no per√≠odo de janeiro a setembro deste ano em compara√ß√£o a igual per√≠odo de 2018, equivalendo √† movimenta√ß√£o de 86 milh√Ķes de toneladas. Houve crescimento na movimenta√ß√£o de cont√™ineres tanto no sentido do embarque quanto do desembarque de cargas, com expans√£o de 1,96% e 4,38%, respectivamente.

No transporte de cabotagem (transporte entre os portos brasileiros), as opera√ß√Ķes de cont√™ineres registraram crescimento de 18,34%, enquanto que no transporte de navega√ß√£o interior, cresceram 15,36% em rela√ß√£o a igual per√≠odo de 2018, implicando em forte crescimento dessas navega√ß√Ķes. Os n√ļmeros s√£o do Estat√≠stico Aquavi√°rio, que √© produzido pela Ger√™ncia de Estat√≠stica e Avalia√ß√£o de Desempenho ‚Äď GEA, da Ag√™ncia Nacional de Transportes Aquavi√°rios ‚Äď Antaq.

Considerando-se todas as cargas, foram movimentados no conjunto dos portos e terminais de uso privado (TUP) brasileiros 812 milh√Ķes de toneladas, representando queda de 2,26% em rela√ß√£o a igual per√≠odo do ano passado.

Entre as naturezas de cargas movimentadas, granel líquido (+4,03%) e conteinerizadas (+3,02%) apresentaram crescimento em relação a 2018. Já granel sólido e carga geral registraram queda de -5,04% e -3,49%, respectivamente.

Na movimenta√ß√£o por tipo de navega√ß√£o, o longo curso apresentou redu√ß√£o de 3,96% (585 milh√Ķes de toneladas) em compara√ß√£o a igual per√≠odo do ano passado, quando foram movimentados nesse tipo de navega√ß√£o 609,24 milh√Ķes de toneladas.

Na contram√£o do longo curso, a movimenta√ß√£o geral de cargas nas navega√ß√Ķes de cabotagem e em vias interiores cresceu, no per√≠odo, 0,97% (173 milh√Ķes de toneladas) e 9,95% (50,9 milh√Ķes de toneladas), respectivamente.

Para o gerente de Estat√≠stica e Avalia√ß√£o de Desempenho da Antaq, Fernando Serra, a queda na movimenta√ß√£o geral de cargas no per√≠odo janeiro/setembro de 2019 ‚Äúainda reflete os problemas enfrentados com o recuo nos embarques (exporta√ß√Ķes) de min√©rio de ferro registrados ao longo deste ano, devido ao rompimento de barragens de conten√ß√£o, al√©m de um per√≠odo at√≠pico de chuvas intensas no Norte do pa√≠s, onde est√£o concentradas as minas de min√©rio de ferro, o que afetou o fluxo das cargas que s√£o exportadas pelo Terminal de Ponta da Madeira, no Estado do Maranh√£o‚ÄĚ.

 

 

 

Fonte: Portos e Navios

Foto: Divulgação