PUBLICIDADE

Estado / S√£o Paulo

Morre v√≠tima de c√Ęncer, aos 63 anos, o jornalista Gilberto Dimenstein

 - REVISTA MAIS SANTOS

Da Redação

O jornalismo brasileiro est√° em luto com a morte de Gilberto Dimenstein aos 63 anos. Ele enfrentava um c√Ęncer no p√Ęncreas.

Na Baixada Santista, o jornalista Antonio Marques Fidalgo, editor-chefe do portal Mais Santos relembra um dos momentos com o colega de profiss√£o. ‚ÄúConheci e convivi com ele durante um ano, quando propus a participa√ß√£o num especial com jovens na Santa Cec√≠lia TV. Que Deus o tenha‚ÄĚ.

A trajet√≥ria profissional de Dimenstein est√° ligada ao jornal Folha de S. Paulo onde obteve por duas ocasi√Ķes o Pr√™mio Esso. Ainda recebeu o Pr√™mio Jabuti de melhor livro de n√£o-fic√ß√£o. O jornalista idealizou o Catraca Livre cuja miss√£o √© usar a comunica√ß√£o para empoderar o cidad√£o.

Rodrigo Augusto Prando, professor e pesquisador da Universidade Presbiteriana Mackenzie, tamb√©m rememora ainda na adolesc√™ncia a influ√™ncia dos textos de Dimenstein. ‚ÄúComo membro juvenil do Movimento Escoteiro – enquanto Pioneiro – sempre recebia de minha Mestra, a T√Ęnia, os recortes de jornal, muitos j√° sublinhados e, ali, sempre constava as mat√©rias redigidas por Dimenstein. Assim, meu contato com os jornais n√£o era de assinante e sim de quem ou lia na biblioteca p√ļblica ou porque recebia de uma amiga. Isso, contudo, me marcou‚ÄĚ.

Dimenstein deixa dois filhos, Marcos Dimenstein e Gabriel Dimenstein, a esposa, Anna Penido, e um neto.

Foto: Reprodução