PortoSANTOS 

Café e carnes foram o carro chefe do crescimento na movimentação de cargas no Porto de Santos em abril deste ano. Os grãos da bebida mais consumida do mundo foram responsáveis pelo crescimento de 152,2% nos embarques, enquanto as carnes subiram em 231,5%.

Comparado com abril de 2018, no entanto, houve queda de 10,1% nas movimentações. No acumulado do primeiro quadrimestre, o resultado é 3,9% menor, caindo de 42,662 milhões de toneladas em 2018 para 41,013 milhões de toneladas na comparação anual. Os dados são da Gerência de Estatísticas da Autoridade Portuária de Santos (Codesp).

O desempenho pode ser explicado principalmente pela queda de 916,442 mil toneladas nos embarques de soja a granel e de 114,450 mil toneladas de suco cítrico a granel. Por outro lado, destacam-se como pontos positivos o incremento de 156,131 mil toneladas nas descargas de adubo, de 133,554 mil toneladas nos embarques de gasolina e de 105,768 mil toneladas de café em grãos em contêiner.

No movimento geral, no entanto, a soja se destacou, com 3,398 milhões de toneladas. Em seguida, o açúcar, com 890,131 mil toneladas (aumento de 6,2% em relação a abril de 2018).

O adubo ficou em terceiro no movimento geral (em primeiro nos desembarques), com 358,621 mil toneladas: crescimento de 77,1%. A celulose (343,514 mil toneladas) foi a quarta carga de maior movimentação.

No movimento acumulado do primeiro quadrimestre, os embarques atingiram 29,029 milhões de toneladas, redução de 4,6% sobre 2018. O complexo soja registrou o maior volume, com 12,212 milhões de toneladas, redução de 2,1% em relação ao ano passado. Em segundo, o açúcar (3,782 milhões de toneladas, queda de 2,8% em relação ao acumulado em 2018, quando a marca foi de 3,889 milhões de toneladas). A celulose foi a terceira carga mais embarcada, com 1,483 milhão de toneladas.

Os desembarques no período foram de 11,984 milhões de toneladas, redução de 2% em relação a 2018. O produto com maior movimentação de descarga no período foi o adubo, com 1,229 milhão de toneladas, aumento de 25,1% em relação a 2018. Em segundo no ranking dos desembarques foi o óleo diesel, com 737,147 mil toneladas, 6,7% maior em relação ao acumulado do ano passado.

Contêineres e navios

Quanto à movimentação de contêineres, houve redução de 2,3% no total de TEU (unidade padrão de um contêiner de 20 pés) e de 1,7% na tonelagem. Mesmo com a redução em relação ao ano passado, a marca é a segunda melhor na série histórica para o mês: 330.096 TEU. Em abril do ano passado o registro foi de 337.901 TEU.

O fluxo de navios registrou o total de 383 atracações, apontando queda de 5,7% (foram 406 atracações em abril de 2018).

saiba antes via instagram @revistamaissantos