PUBLICIDADE

Estado / S√£o Paulo

Covid-19: Campinas imp√Ķe toque de recolher e fechamento de com√©rcio

Da Agência Brasil

Com taxas de ocupação em colapso, a cidade de Campinas, no interior paulista, inicia hoje (21) um toque de recolher e fechamento de atividades no período noturno para tentar conter o aumento de casos de Covid-19. As medidas, que foram publicadas no Diário Oficial da prefeitura municipal e valem até o dia 30 de junho.

Com isso, serviços, comércios e demais atividades são proibidas de funcionar entre 19h e 5h da madrugada, inclusive padarias e supermercados. Até este horário, todas as atividades permitidas na fase de transição do Plano São Paulo podem funcionar, desde que respeitem o limite de 40% na capacidade de atendimento.

A prefeitura de Campinas estabeleceu, ainda, um toque de recolher de pessoas e de veículos entre 19h01 e 4h59 da manhã. Bares continuam proibidos de funcionar nesse período, podendo atender apenas por delivery (entrega) e retirada.

Tamb√©m est√° proibido o consumo de bebidas alco√≥licas em vias e espa√ßos p√ļblicos e nas depend√™ncias de postos de combust√≠veis entre 19h e 5h. A multa √© de R$ 1.515,44 para quem for flagrado descumprindo a regra e de R$ 3.030,88 para o estabelecimento onde essa infra√ß√£o ocorrer.

‚ÄúEstamos conduzindo o enfrentamento da pandemia com o maior equil√≠brio poss√≠vel. As medidas restritivas prejudicam setores importantes da cidade, mas todos est√£o vendo a fila de pacientes esperando interna√ß√£o. Os indicadores de monitoramento da pandemia acenderam o alerta e, por isso, estamos adotando as medidas focando nos hor√°rios e nos exageros das atividades que mais contaminam. Nosso esfor√ßo √© para salvar vidas e para ampliar a vacina√ß√£o. Precisamos da compreens√£o da popula√ß√£o‚ÄĚ, disse o prefeito D√°rio Saadi.

At√© a √ļltima sexta-feira (18), quando o √ļltimo boletim epidemiol√≥gico foi divulgado, Campinas tinha uma taxa m√©dia de ocupa√ß√£o de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) em torno de 94%. Mas considerando-se apenas as UTIs p√ļblicas, tanto municipal quanto estadual, a ocupa√ß√£o m√©dia era ainda maior – em torno de 99% – com uma fila de 32 pacientes adultos aguardando vaga de interna√ß√£o por s√≠ndrome respirat√≥ria aguda grave.

Aglomeração zero

No √ļltimo fim de semana, a prefeitura de Campinas iniciou a Opera√ß√£o Aglomera√ß√£o Zero, que visa evitar e dispersar a aglomera√ß√Ķes na cidade.

‚ÄúA nossa prioridade √© intensificar a fiscaliza√ß√£o de aglomera√ß√Ķes, sejam elas em vias p√ļblicas e tamb√©m perto de bares e postos de combust√≠veis, que √© onde est√° ocorrendo a transmiss√£o. Precisamos da colabora√ß√£o da popula√ß√£o, principalmente dos mais jovens, que tenham consci√™ncia e n√£o se aglomerem nestes locais, principalmente com o uso de bebida alco√≥lica‚ÄĚ, disse o prefeito.

Somente entre a noite de s√°bado (19) e a madrugada de domingo (20), as equipes de fiscaliza√ß√£o da prefeitura dispersaram 2.261 pessoas que estavam em bares e festas na cidade, desrespeitando as regras que imp√Ķem distanciamento social e uso de m√°scara. Tr√™s estabelecimentos foram fechados.

Também foi autuado e multado o organizador de uma festa clandestina com 150 pessoas, que ocorria em uma chácara no Jardim Novo Sol, no Distrito de Ouro Verde. O organizador foi multado em R$ 18.943,00.

Foto: Adriano Rosa/Arquivo