PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Defesa Civil faz teste de ac√ļstica das sirenes para alerta de temporais

O objetivo é informar a comunidade sobre a nova ferramenta e reforçar o plano de ação montado de maneira inédita no local

 

Foto: Divulgação / Prefeitura de Guarujá

Da redação

A Defesa Civil de Guaruj√°, em parceria com a Defesa Civil do Estado, realizar√° um novo teste do sistema de sirenes para alerta de temporais e √°reas de risco, no Morro da Barreira do Jo√£o Guarda, o Sistema de Alerta Remoto (Sisar).

Desta vez, o objetivo da a√ß√£o √© atestar a qualidade do √°udio em toda a √°rea de cobertura. A simula√ß√£o acontece nesta sexta-feira (5), √†s 15h30, nas proximidades da Escola Municipal S√©rgio Pereira, localizada na Avenida Atl√Ęntica, 1.516, na Cidade Atl√Ęntica, local onde est√° instalado o equipamento.

O Sisar cont√©m avisos para emerg√™ncias durante eventos clim√°ticos extremos e √© mais uma ferramenta para as a√ß√Ķes preventivas da Defesa Civil de Guaruj√°. A sirene, instalada na Escola Municipal S√©rgio Pereira, faz com que as mensagens sonoras cheguem com clareza at√© por volta de 400 metros de dist√Ęncia.

A sirene pode ser acionada √† dist√Ęncia pela sede da Defesa Civil de Guaruj√° ou de forma manual, no pr√≥prio ponto de instala√ß√£o. Quando o sistema de alerta √© acionado, o toque da sirene √© alternado com mensagens de voz sobre a previs√£o de chuva, riscos de deslizamentos na √°rea e pedido para que os moradores se dirijam para locais seguros e pontos de encontro.

Selecionada pelo estado 

Guarujá foi uma das três cidades selecionadas pelo Governo do Estado para a implantação do novo sistema de sirenes para alerta de temporais e áreas de risco. Além do município, participam também do projeto São Sebastião e Franco da Rocha.

A a√ß√£o √© coordenada pela Defesa Civil Estadual, o investimento √© de R$ 2,4 milh√Ķes e contempla material e instala√ß√£o de torres de transmiss√£o. Entre os crit√©rios para escolha dos munic√≠pios est√° o risco de deslizamentos e alagamentos, volume de chuva registrado nas regi√Ķes, n√ļmero de √≥bitos e desalojados, centro de opera√ß√Ķes e controle que j√° funcionam 24 horas.

Segundo a administra√ß√£o municipal, as ruas do bairro receber√£o placas de sinaliza√ß√£o indicando rotas de fuga, √°reas sujeitas √† eros√£o e desmoronamento, pontos de encontro e abrigos emergenciais, al√©m de um N√ļcleo Comunit√°rio de Prote√ß√£o e Defesa Civil (Nupdec), com a participa√ß√£o dos moradores e integra√ß√£o direta com os agentes. O modelo seguir√° os moldes da iniciativa realizada com √™xito na Prainha Branca. O objetivo √© contar com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da Funda√ß√£o SOS Mata Atl√Ęntica para a qualifica√ß√£o de volunt√°rios, que ser√£o multiplicadores de informa√ß√Ķes e far√£o o primeiro atendimento no local.