PUBLICIDADE

Região / Cotidiano

Organizador de show em SV justifica aglomeração em nome da “segurança de todos”

Da Redação

Um show de pagode realizado na última segunda-feira (16), em São Vicente, teve algo contrário aos protocolos por conta da pandemia do novo coronavírus: aglomeração. No entanto, segundo a organização do show, a situação acabou sendo “inevitável”, por conta da forte chuva que caiu naquela noite.

 - REVISTA MAIS SANTOS  - REVISTA MAIS SANTOS

No material publicitário do encontro “Menos É Mais”, consta informações relativas a um protocolo sanitário, como 40% de capacidade do local, aferição de temperatura, álcool gel , distanciamento social e uso obrigatório de máscara. Fredy da Silva, promotor do evento, conta que foi a opção encontrada, para evitar que dezenas de pessoas ficassem na chuva, apenas para manter o distanciamento social, o que poderia resultar em conflitos com a segurança do evento.

Ele enviou para a reportagem do Portal Mais Santos fotos que mostram a aferição de temperatura e pessoas da organização, bem como do público, usando máscaras. “Tomamos todas as medidas. Aferimos temperatura, álcool gel, tudo certinho. Limitamos a capacidade, tanto que as vendas ocorreram em três dias, depois esgotaram, não houve venda na hora. Fizemos todos os procedimentos. Inclusive acompanhamos em sites como o Climatempo, que não indicavam chuva”.

Fredy argumenta que, por volta de 21h30, caiu uma tempestade repentina. Com isso, pessoas que estavam na parte aberta “ficaram em desespero” para não tomarem chuva. “Foi por não ficarem molhadas antes de acontecer o show da banda principal. Nesse desespero, as pessoas correram para a parte do ginásio, que era a de menor tamanho, para todo mundo ficar coberto”.

Ele defende a decisão tomada no dia. “Pessoa tomando chuva e o segurança não deixando ela ir para a área coberta, ia se revoltar e agredir segurança, virar motim, ou tentar entrar à força, o que poderia causar um pisoteamento. Como nós tínhamos controle de acesso por meio de pulseiras, ao fim da chuva, nós “normalizaríamos” o ambiente, e colocaríamos as pessoas que não pertenciam àquele setor no seu devido local”. Segundo ele, o evento comportava 480 pessoas, sendo 160 na parte interna e 320 na externa.

 - REVISTA MAIS SANTOS

Já a Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Comércio, Indústria e Negócios Portuários (Secinp), informa que “o evento recebeu autorização, após apresentação de todos os documentos exigidos”.

“A autorização foi baseada na Fase Verde do Plano São Paulo, estabelecido pelo Governo do Estado, que permite a realização de eventos com 60% de capacidade e com o cumprimento das regras e protocolos sanitários necessários para se evitar a disseminação da Covid-19. Todos os critérios de segurança foram adotados, conforme verificado pela fiscalização no dia do evento”, prossegue a nota.

O mais recente boletim divulgado pela Prefeitura de São Vicente indica que a Cidade possui 892 casos positivos de Covid-19, com 469 óbitos e 19 internações (três em UTI).

Fotos: Divulgação