PUBLICIDADE

Região / Economia

Pesquisa aponta aumento da preferência do consumidor pela Black Friday

Da Redação

Em uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com a Offer Wise Pesquisas, fala que 57% dos consumidores pretendem fazer compras na Black Friday, principalmente porque 70% acham que é uma boa hora para comprar coisas que precisam a um preço mais baixo. Já os 38% dos consumidores pretendem aproveitar o preço para antecipar as compras de Natal e 19% querem aproveitar as promoções e descontos, mesmo que não estejam precisando de nada no momento.

Entretanto, a pesquisa aponta que 29% dos consumidores só pretendem adquirir algum produto se as ofertas estiverem realmente valendo a pena. Somente 14% não pretendem participar, e 29% justificam que estão sem dinheiro, 21% afirma que estão desempregados e 18% porque acreditam que o momento econômico não é favorável.

Os consumidores preferem comprar em sites das lojas que costumam comprar (55%), sites/aplicativos de comparação de preços (52%) e em sites de busca (43%), esses são os principais locais de pesquisa de preços. Em média, na pesquisa aponta que os consumidores esperam encontrar descontos de 42% nos produtos ofertados. Roupas, calçados e eletrodomésticos serão os produtos mais procurados

“Normalmente os consumidores costumam buscar comprar em sites e lojas onde já tiveram uma boa experiência de compra. Eles farão muitas pesquisas de preços e principalmente ficarão atento à reputação do estabelecimento nas redes sociais e em sites como Procon e de feedback dos clientes anteriores. Com isso, o estabelecimento deve buscar alternativas para chamar a atenção da clientela e deve oferecer benefícios como por exemplo, frete grátis, descontos diversos e reais, e variedades de modalidades de pagamentos”, afirma o Presidente da CDL Santos-Praia, Nicolau Obeidi.

A Câmara de Dirigentes lojistas ressalta que o consumidor deve se manter atento para evitar endividamentos nessa Black Friday. De acordo com a pesquisa feita pela CNDL, quatro em cada 10 consumidores, sendo 38%, compraram por impulso na Black Friday 2020, 29% admitem que costumam gastar mais do que podem no evento e 12% ficaram com o nome sujo devido as compras realizadas na edição do ano passado.

“Mesmo tendo boas ofertas, o consumidor deve manter o controle dos seus gastos durante esse evento até porque após Black Friday tem as festas de final de ano. As redes sociais, sites e tv estão repletos de ofertas e propagandas para atrair os clientes. Por isso, se deve estabelecer um teto de gastos e evitar compras por impulso que podem trazer problemas financeiros”, finaliza Obeidi.