PUBLICIDADE

Santos / Porto

Presidente da Codesp fala sobre mudanças na sua gestão

O presidente da Codesp, Casemiro Tercio Teixeira, esclareceu para autoridades portu√°rias, empres√°rios do setor, pol√≠ticos e professores sobre as decis√Ķes tomadas pela estatal. Para falar sobe o futuro do Porto de Santos, o¬†evento aconteceu ontem (30) e fez parte da 3¬™ Rodada da Cidadania.

Na cerim√īnia de abertura, o vice-presidente da Associa√ß√£o Comercial de Santos (ACS), Vicente do Valle, ressaltou a import√Ęncia do trabalho que vem sendo implantado por Casemiro Tercio. “A gest√£o da Codesp, esse novo Governo, tem sido um marco para a nossa regi√£o e para o pr√≥prio pa√≠s.¬† A maneira em que √© conduzida essa nova gest√£o, com caracter√≠sticas de mercado bastante interessantes e com uma vis√£o de estado, j√° √© um diferencial”.

J√° a coordenadora da C√Ęmara Setorial das Institui√ß√Ķes de Ensino, Silvia Teixeira Penteado, disse que o objetivo das rodadas da cidadania √© realizar um di√°logo que possa resultar na melhoria da sociedade. “√Č um privil√©gio que a ACS, nesta data, tenha uma presen√ßa t√£o ilustre e ao mesmo tempo significativa e empreendedora. Esses ares de integra√ß√£o, que visam somar a cultura, a cidadania, enfim, as coisas que existem na nossa regi√£o em uma institui√ß√£o praticamente centen√°ria s√£o muito importantes‚ÄĚ.


O Porto do Futuro

Casemiro destacou que o alicerce de seu trabalho √© reestrutura√ß√£o da empresa. “Temos que olhar a empresa como uma companhia. A moderniza√ß√£o e a mudan√ßa da cultura corporativa s√£o essenciais. Para se ter o melhor Porto da Am√©rica Latina, e n√£o s√≥ o maior, √© preciso mudar a base. Ter o melhor pre√ßo, menos avarias, mais rapidez, n√£o ter furtos de carga e n√£o ser um porto, o qual a droga saia por ele. Esse deve ser o caminho”.

Al√©m do corte de gastos, Casemiro disse que houve altera√ß√£o de 100% da diretoria e, por isso, muitos profissionais¬†foram substitu√≠dos. “Identificamos algumas pessoas que foram colocadas de escanteio e que podem contribuir bem mais com a empresa”.

Outras duas vertentes levantadas pelo presidente s√£o os contratos de arrendamento e concess√Ķes de servi√ßos do canal de dragagem. “√Č necess√°rio¬† uma repagina√ß√£o do condom√≠nio portu√°rio. Existem √°reas no Porto de Santos que n√£o t√™m sentido. √Č poss√≠vel consolidar e determinar per√≠metros portu√°rios com um potencial maior de movimenta√ß√£o”.

J√° com rela√ß√£o √†s concess√Ķes dos servi√ßos de manuten√ß√£o do canal dragado,¬† a inten√ß√£o √© que o servi√ßo deixe de ser administrado pela autoridade portu√°ria e v√° para a iniciativa privada. “A inten√ß√£o √© de enxugar, tirar a quantidade de servi√ßos que hoje est√° sob a responsabilidade da Codesp e n√£o precisaria estar”.

O resultado de seu trabalho de um pouco mais de dois meses, já rendeu frutos. A Codesp conseguiu que o Terminal Pesqueiro de Laguna seja repassado ao Estado ou União.  O terminal era administrado desde 1975 pela empresa Portos do Brasil S/A (Portobras) extinta no início da década de 90. Depois disto, sua administração ficou vinculada a Codesp, por meio de um convênio  celebrado com o Ministério dos Transportes, ao qual a Codesp se subordinava.

Custos

A nova tabela tarif√°ria da Ag√™ncia Nacional de Transportes Aquavi√°rios (Antaq) tamb√©m est√° sendo reavaliada. “Vamos realinhar todos os pre√ßos do Porto, com base na nova tabela tarif√°ria da Ag√™ncia Nacional de Transportes Aquavi√°rios (Antaq), porque h√° discrep√Ęncias tanto para mais quanto para menos. Alguns valores v√£o aumentar; outros devem diminuir”.

Universidades-Porto

As universidades da regi√£o dever√£o ser utilizadas para propor parcerias e iniciar startups. “Talvez a gente precise formar uma profiss√£o que ainda n√£o existe. Por isso, √© importante essa parceria¬† e troca entre Porto-Universidades. Precisamos evoluir. Daqui a alguns anos, algumas fun√ß√Ķes deixar√£o de existir com a inclus√£o da tecnologia‚ÄĚ.

Porto-Cidade

A rela√ß√£o porto-cidade √© algo que tamb√©m est√° em pauta na gest√£o. “O principal ponto √© como o Porto enxerga a Cidade e vice-versa. √Č preciso que as duas estejam de acordo.¬† Temos a √°rea de armaz√©ns do Valongo que est√° deteriorada. O Centro Hist√≥rico, que est√° esquecido, e agora o projeto da Ponta da Praia que tamb√©m deve incluir o Porto, at√© como fonte de turismo. Para isso √© necess√°rio um planejamento em conjunto com a prefeitura”.

 

Foto: Divulgação