PUBLICIDADE

Estado / S√£o Paulo

Vacina contra Covid será obrigatória em SP quando disponível, diz Doria

Da Agência Brasil

O governador de S√£o Paulo, Jo√£o Doria, disse hoje (16) que a vacina contra a Covid-19 ser√° obrigat√≥ria em todo o estado paulista, caso ela seja aprovada nos testes e tenha o aval da Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa). Segundo Doria, apenas pessoas com atestado m√©dico poder√£o ser liberadas de receber o imunizante.

‚ÄúEm S√£o Paulo a vacina√ß√£o ser√° obrigat√≥ria, exceto para quem tenha orienta√ß√£o m√©dica e atestado m√©dico de que n√£o pode tomar a vacina. E adotaremos medidas legais se houver contrariedade nesse sentido”, disse Doria, em entrevista coletiva em S√£o Paulo.

O governador revelou que os testes com a vacina chinesa CoronaVac devem ser finalizados neste final de semana e os resultados desses testes deverão ser anunciados em coletiva à imprensa na segunda-feira (19). Doria também disse que os resultados desses testes serão encaminhados na própria segunda-feira para a Anvisa.

Na quarta-feira (21), Doria deve se reunir com o ministro da Sa√ļde, Eduardo Pazuello, para discutir sobre a possibilidade de distribuir a vacina nacionalmente por meio do Sistema √önico de Sa√ļde (SUS). No mesmo dia, o governador vai se reunir com o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

“O que S√£o Paulo deseja √© compartilhar a vacina do Butantan para que outros estados brasileiros possam vacinar. S√£o Paulo vai vacinar. J√° garanti que os 45 milh√Ķes de brasileiros em S√£o Paulo ser√£o vacinados”, disse Doria.

Testes

O governo paulista, por meio do Instituto Butantan, tem uma parceria com a farmac√™utica chinesa Sinovac para a vacina CoronaVac. Por meio desse acordo, o governo vai receber 46 milh√Ķes de doses da vacina at√© dezembro deste ano. O acordo tamb√©m prev√™ transfer√™ncia de tecnologia para o Butantan .

A CoronaVac está na fase 3 de testes com voluntários brasileiros desde julho deste ano. Nesta etapa, é avaliada a eficácia da vacina, ou seja, se ela protege contra o coronavírus. Caso os testes de fase 3 comprovem que ela é uma vacina eficaz, a CoronaVac ainda vai precisar de uma aprovação da Anvisa para iniciar a vacinação. O governo paulista prevê que o início da vacinação possa ocorrer a partir de 15 de dezembro deste ano.

O governador enfatizou que a vacina chinesa vem se mostrado segura, ou seja, os volunt√°rios n√£o apresentaram efeitos colaterais graves. ‚ÄúAt√© aqui, sem nenhuma colateralidade. At√© aqui os testes da CoronaVac s√£o positivos‚ÄĚ, disse Doria.

Segundo o coordenador executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, as duas primeiras fases de testagem da vacina também indicaram que sua eficácia é de cerca de 98%. Geralmente, para ser aprovada, uma vacina necessita minimamente ser 70% eficaz, mas a Anvisa estuda flexibilizar a aprovação da vacina se ela tiver ao menos 50% de eficácia.

‚ÄúO Minist√©rio da Sa√ļde, neste momento, fala em n√ļmero superior a 50%. Se tivermos efic√°cia superior a 50%, a vacina poder√° ser aprovada pela Anvisa. Os estudos que temos at√© o momento, de fases 1 e 2, apontam para efic√°cia em torno de 98%. N√£o tenho acesso ainda aos testes de fase 3 no Brasil. Para compara√ß√£o, a vacina para Influenza [gripe] tem efic√°cia em torno de 90%‚ÄĚ, disse Gabbardo.

O coordenador disse crer que a CoronaVac preenche todos os requisitos elencados pelo Minist√©rio da Sa√ļde para ser incorporada ao Programa Nacional de Imuniza√ß√£o, tais como seguran√ßa, efic√°cia, prazo de desenvolvimento, produ√ß√£o em escala e pre√ßo razo√°vel.

‚ÄúN√≥s acreditamos que a vacina preenche todos os requisitos elencados pelo Minist√©rio da Sa√ļde para ser incorporada ao Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes”, disse Gabbardo.