PUBLICIDADE

Santos / Esporte

Pressionados, Santos e Robinho desistem de contratação

Da Redação

O Santos e o atacante Robinho anunciaram, no in√≠cio da noite desta sexta-feira (16), a ruptura do acordo firmado no √ļltimo s√°bado, que marcaria a quarta passagem do jogador pelo Peixe. Em curto comunicado, o Alvinegro disse que a decis√£o foi ‚Äúem comum acordo‚ÄĚ.

‚ÄúO Santos Futebol Clube e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no √ļltimo dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na It√°lia‚ÄĚ.

O comunicado √© o √ļltimo cap√≠tulo de uma semana conturbada para o atacante, que foi condenado em primeira inst√Ęncia por crime de estupro contra uma jovem albanesa. A transcri√ß√£o de √°udios presentes no processo trouxe mais um ingrediente para a situa√ß√£o do jogador. Segundo mat√©ria do portal ge.globo, o jogador teria indicado que participou do ato contra a jovem albanesa, embora alegando que n√£o houve a chamada conjun√ß√£o carnal, mas havido sexo oral com a garota, que estava ‚Äúb√™bada‚ÄĚ.

A decisão do Tribunal de Milão, de novembro de 2017, ainda não é definitiva e foi contestada pelas defesas do jogador do Santos e de Ricardo Falco, o outro acusado brasileiro no crime. Os advogados dos dois apresentaram recurso.

O caso aconteceu numa boate de Milão chamada Sio Café na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros teriam participado do ato classificado pela Procuradoria de Milão como violência sexual.

Segundo a investigação, a mulher foi levada a um camarim na boate, onde foi abusada por cinco homens. Os outros suspeitos deixaram a Itália ao longo da investigação, e por isso sua participação no ato é alvo de outro processo.

De acordo com o site, Robinho admitiu em juízo ter mantido relação sexual com a vítima, mas afirmou ter sido consensual. No entanto, em uma conversa com o amigo Ricardo Falco, também condenado pelo crime, o jogador demonstrou saber que a mulher estava bastante alcoolizada no momento do ato.

Para a justi√ßa italiana, essas conversas s√£o “auto-incriminat√≥rias”. Em uma delas, ao ser avisado sobre as investiga√ß√Ķes pelo m√ļsico Jairo Chagas, que tocou naquela noite, Robinho disse, de acordo com o processo:

Robinho: Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu.

Robinho: Olha, os caras est√£o na m… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros f… ela, eles v√£o ter problemas, n√£o eu… Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2)…. Eram cinco em cima dela.

Jairo Chagas, conhecido da comunidade brasileira em Milão, voltou a mencionar o episódio em uma conversa com Robinho em janeiro de 2014.

Robinho: A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa.

Jairo: Mas você também transou com a mulher?

Robinho: N√£o, eu tentei. (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2), (NOME DE AMIGO 3)…

Jairo: Eu te vi quando colocava o p… dentro da boca dela.

Robinho: Isso n√£o significa transar.

Defesa

Advogada que cuida dos interesses de Robinho, Marisa Alija também se manifestou sobre os novos fatos envolvendo seu cliente. Ela diz que houve distorção e corte na transcrição dos áudios, além de divergências na tradução do português para o italiano no processo.

Segundo a defesa, os advogados em Milão e Roma tomarão as devidas providências. Veja abaixo a nota completa dos advogados de Robinho, Marisa Alija e Luciano Santoro:

Com rela√ß√£o √† reportagem ‚ÄúAs grava√ß√Ķes do caso Robinho na Justi√ßa Italiana‚ÄĚ, publicada hoje pelo GE, os advogados do jogador Robson de Souza esclarecem:

1.O Jogador reitera que não cometeu o crime do qual é acusado e que sempre que se relacionou sexualmente foi de maneira consentida;

2.Taxativamente n√£o houve viol√™ncia sexual tampouco admiss√£o de culpa nas intercepta√ß√Ķes telef√īnicas, o que fica claro quando analisadas na integralidade e no contexto correto;

3.Por se tratar de processo sigiloso e ainda em curso, estamos impedidos de falar sobre o m√©rito das acusa√ß√Ķes. Entretanto, sobre a divulga√ß√£o em si, deve ser esclarecido que h√° nos autos provas suficientes da inoc√™ncia de Robinho ‚Äď as quais infelizmente n√£o foram divulgadas na mat√©ria ‚Äď e outras que ainda ser√£o apresentadas √† Justi√ßa italiana, que certamente levar√£o √† sua absolvi√ß√£o. H√° diversas conversas interceptadas que n√£o foram corretamente traduzidas para o idioma italiano, o que levou ao equ√≠voco de interpreta√ß√£o;

4.Confiamos plenamente na Justi√ßa italiana, no sucesso do recurso defensivo e na reforma da decis√£o, conscientes de que a submiss√£o do feito √†s inst√Ęncias superiores permite justamente evitar erros judici√°rios e condena√ß√Ķes injustas;

5.Por fim, Robinho agradece o apoio da torcida do Santos Futebol Clube e, como pai de família e atleta, faz questão de ressaltar que repudia todas as formas de violência.

Press√£o

Patrocinadorers do clube também ameçaram rescindir com o Santos, caso o negócio com Robinho não fosse desfeito. Marcas como Philco e Kicaldo se posicionaram sobre o assunto.

Confira a nota da Philco

A Philco vem a p√ļblico informar que j√° encaminhou nota ao Santos Futebol Clube. E manifesta que repudia veementemente a contrata√ß√£o do atleta Robinho, ap√≥s a constata√ß√£o dos fatos.¬†Sempre mantivemos forte parceria com o time e seus torcedores, por√©m neste momento exigimos a rescis√£o imediata com o atleta.Caso contr√°rio, a Philco ir√° revogar o contrato, pois a situa√ß√£o n√£o compactua com os valores da marca. NENHUM ATO DE VIOL√äNCIA CONTRA A MULHER DEVE SER TOLERADO.

Confira a nota da Kicaldo

‚ÄúAp√≥s acesso √† reportagem, comunicamos o Santos que, caso o clube n√£o rescinda o contrato com o jogador em quest√£o, retiraremos nosso patroc√≠nio. A Kicaldo repudia todo tipo de viol√™ncia, e por isso vamos seguir agindo sempre de acordo com nossos valores‚ÄĚ.

 

Foto: Ivan Storti/Divulgação Santos FC