PUBLICIDADE

√Āsia

Rayssa Leal, a Fadinha, fatura prata no skate street em Tóquio 2020

Da Agência Brasil

A maranhense Rayssa Leal, a Fadinha, de 13 anos, conquistou a prata na madrugada desta segunda-feira (26) no skate street na Olimpíada de Tóquio (Japão), se tornando a medalhista mais jovem do país na história da participação brasileira nos Jogos.

A brasileira marcou 14,64 na somatória, e só foi superada pela dona da casa Nishiya Momiji (15.26), também de 13 anos. Outra japonesa, Funa Nakayama, de 16 anos, levou o bronze (14.49). As disputas ocorreram no Parque e Esportes Urbano de Ariake.

Fadinha encantou nas manobras e na descontração: sorridente ele chegou a dançar algumas vezes, sem se deixar abater pela pressão da decisão por medalha. Estratégia que lhe garantiu a prata, a segunda do Brasil no skate street Рno sábado (25) Kelvin Hofler conquistou a primeira.

“Eu estou muito feliz, esse dia vai ser marcado na hist√≥ria. Eu tento ao m√°ximo me divertir porque eu tenho certeza de se divertindo as coisas fluem, deixa acontecer naturalmente, se divertindo‚ÄĚ, disse a skatista ao site do Comit√™ Ol√≠mpico do Brasil (COB).

Sensa√ß√£o nos Jogos de T√≥quio, Fadinha chegou nos √ļltimos dias a mais de dois milh√Ķes de seguidores nas redes sociais. Agora medalhista ol√≠mpica, ela acredita que poder√° influenciar mais meninas a praticarem a modalidade.

‚ÄúSaber que muitas meninas j√° me mandaram mensagem no Instagram falando que come√ßaram a andar de skate ou os pais deixaram andar de skate por causa de um v√≠deo meu, eu fico muito feliz porque foi a mesma coisa comigo. Minha hist√≥ria e a hist√≥ria de muitas outras skatistas que quebraram todo esse preconceito, toda essa barreira de que o skate era s√≥ para menino, para homem, e saber que estou aqui e posso segurar uma medalha ol√≠mpica, √© muito importante para mim‚ÄĚ, concluiu.

Ficaram pelo caminho

Outras duas brasileiras competiram na primeira fase, mas n√£o se classificaram entre as oitos primeiras colocadas que avan√ßaram √† final. P√Ęmela Rosa, l√≠der do ranking mundial no street, foi a primeira brasileira a se apresentar, na terceira bateria. A atleta ficou em d√©cimo lugar, com total de 10.06 pontos. Momentos depois da disputa, P√Ęmela postou em rede social uma foto do tornozelo esquerdo, muito inchado e com hematomas. A atleta explicou que sofreu uma les√£o na reta final da prepara√ß√£o e agradeceu o apoio da torcida brasileira.

J√° a experiente Let√≠cia Bufoni, n√ļmero 4 do ranking, se apresentou com Rayssa Leal na quarta e √ļltima bateria, mas tamb√©m n√£o conseguiu nota suficiente para ir √† final: totalizou 10.91 pontos, ficando em nono lugar.

Foto: Wander Roberto/Divulgação COB