PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Conselho diz que estoque de oxigênio está acabando em três cidades da região

Da Redação

Um levantamento realizado pelo Conselho de Secret√°rios Municipais de Sa√ļde do Estado de S√£o Paulo (Cosems) apontou que tr√™s cidades da Baixada Santista est√£o entre 54 munic√≠pios do Estado cujo desabastecimento de cilindros de oxig√™nio para leitos de hospitais chegou a n√≠veis cr√≠ticos. Mas Santos, Bertioga e Mongagu√° negam, embora admitam a preocupa√ß√£o se as taxas de ocupa√ß√£o n√£o baixarem.

Segundo a Prefeitura de Santos, at√© o presente momento n√£o houve problemas em rela√ß√£o ao fornecimento de oxig√™nio em leitos em funcionamento. No entanto, j√° foi apontado, por fornecedores e pela iniciativa privada, a dificuldade de oferta para a abertura de novos leitos, bem como restri√ß√Ķes de disponibilidade de medicamentos para intuba√ß√£o.

Em Bertioga, a Secretaria de Sa√ļde informou que, at√© o momento, n√£o enfrenta desabastecimento. O Hospital de Bertioga conta com 20 cilindros, que s√£o reabastecidos diariamente conforme o uso pelos pacientes internados nos leitos de enfermaria covid-19, al√©m da rede canalizada de gases que supre os 10 leitos de UTI.

Segundo a Secretaria, embora esse quantitativo seja suficiente para atender os pacientes internados no Hospital, atualmente com 90% de ocupa√ß√£o de leitos UTI Covid, a preocupa√ß√£o √© que o crescimento do n√ļmero de casos da doen√ßa em todo o Estado acarrete no desabastecimento.

A Prefeitura de Mongaguá disse que o uso de oxigênio aumentou significativamente, mas, até o momento, não teve problemas no abastecimento.

Foto da capa: Divulga√ß√£o/Minist√©rio da Sa√ļde