PUBLICIDADE

Regi√£o / Cotidiano

Em Guarujá, secretário nacional de Pesca anuncia empréstimos a pescadores com recursos do Fundo da Marinha Mercante

Da Redação

Em visita oficial a Guarujá nesta segunda-feira (25), o secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jairo Gund, anunciou uma ótima notícia para os pescadores artesanais da Região: a liberação de recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM), com apoio financeiro reembolsável, para pessoa física ou jurídica que explore a pesca artesanal.

Entre os benef√≠cios, est√£o prazo de car√™ncia de at√© quatro anos, prazo de amortiza√ß√£o de at√© 20 anos e juros de 1% a at√© 3% ao ano. O valor precisar√° ser usado para a constru√ß√£o ou produ√ß√£o de embarca√ß√Ķes destinadas a pesca com 30% ou mais de conte√ļdo nacional, por exemplo. O financiamento chega a ser do valor total de itens nacionais para o caso de contrata√ß√£o de empresa brasileira.

O secretário nacional esteve em Guarujá para conhecer e entender as demandas dos pescadores de toda a Baixada Santista, além de trazer boas notícias para a categoria. O evento aconteceu no Teatro Municipal Procópio Ferreira.

“Viemos para ouvir os pedidos e buscar as solu√ß√Ķes necess√°rias. J√° existem solu√ß√Ķes para muitas das demandas apresentadas, ent√£o esse di√°logo √© fundamental. Sobre as novas demandas, o Governo Federal est√° de portas abertas e disposto a avaliar de que forma ajudar”, explicou Jairo Gund.

Para o secret√°rio de Desenvolvimento Econ√īmico e Portu√°rio de Guaruj√°, Adalberto Ferreira da Silva, o caminho √© cuidar e valorizar o pescador artesanal. “√Č importante valoriz√°-lo pelo seu significado econ√īmico e cultural e, ainda mais, estar atento √† sua sobreviv√™ncia. No desenvolvimento, no crescimento econ√īmico, o ser humano deve ser considerado com toda a sua complexidade. O crescimento deve ser sustent√°vel e includente”, destaca Adalberto.

Comemorar

O presidente da Confedera√ß√£o Nacional dos Pescadores e Aquicultores (CNPA), Edivando Soares de Ara√ļjo, recebeu com alegria o an√ļncio de financiamento. “Com as autoridades vindo at√© as bases, elas entendem o problema na raiz, do ponto de vista e da realidade do dia a dia do pescador. Dessa forma, a solu√ß√£o √© muito mais completa”.

Al√©m de ganharem voz, os representantes de col√īnias e entidades ligadas √† pesca comemoraram a libera√ß√£o de recursos do Fundo da Marinha Mercante. “A visita √© uma oportunidade para expor o cen√°rio atual da pesca artesanal, as dificuldades referentes √†s legisla√ß√Ķes vigentes, car√™ncias de infraestruturas e outras preocupa√ß√Ķes. Tamb√©m precisamos reconhecer a alegria de ter sido dada uma boa not√≠cia para a categoria”, explica Izaura Martins Bilro, de 66 anos de idade e 50 anos de pesca.

Atualmente, Izaura √© diretora da Associa√ß√£o Litor√Ęnea da Pesca Extrativista Classista do Estado de S√£o Paulo e representa centenas de mulheres em toda a regi√£o.

O superintendente de Pesca, N√°utica e Economia Solid√°ria de Guaruj√°, Luciano de Santi Anna da Silva, lembra que as entidades que representam os pescadores v√™m lutando arduamente em quest√Ķes como dragagem, acidentes ambientais e seus impactos, al√©m de abordar as novas legisla√ß√Ķes. “A categoria debateu sobre formas de seguir garantindo o ganho do pescador em sintonia com o desenvolvimento sustent√°vel”.

Quem concorda com ele √© o pescador artesanal Eduardo Hip√≥lito Filho, de 51 anos de idade e uma vida no mar. “Minha fam√≠lia √© inteira de pescadores. Tivemos uma oportunidade √ļnica de apresentar nossas demandas. Muitas s√£o antigas e as coisas mudaram muito nos √ļltimos anos. Estamos pedindo nosso direito e n√£o queremos impedir o progresso. Mas o secret√°rio nacional vir e trazer uma not√≠cia boa para a gente mostra que se tem um afeto pela causa”.

Foto: Hygor Abreu/Divulgação PMG