PUBLICIDADE

Regi√£o / Meio Ambiente

Jararaca é levada ao Butantan após resgate da GCM de São Vicente

Da Redação

Uma jararaca foi resgatada, na manhã desta segunda-feira (05), pela equipe do Pelotão Ambiental da Guarda Civil Municipal de São Vicente (GCM), em apoio à Guarda Municipal de Santos.

Após avistarem o animal em um canal próximo à sede do Canil da GCM santista, os profissionais vicentinos foram acionados por meio do Centro de Comunicação (Cecom), em razão do município de Santos, até o momento, não possuir uma equipe especializada na área.

De acordo com o subcomandante da GCM, Rubens Góes, após a operação, a espécie de serpente venenosa foi encaminhada ao Instituto Butantan, no município de São Paulo.

Um animal desse porte √© visto com grandes olhos ao Instituto, segundo o l√≠der do Pelot√£o Ambiental da GCM, Valter Santos. ‚ÄúAp√≥s contermos o animal, que media mais de um metro, entramos em contato com o Butantan. Eles aceitaram no mesmo instante e levamos a serpente at√© eles, ainda pela manh√£‚ÄĚ, finalizou.

O trabalho em conjunto das guardas é comum entre os municípios, tendo em vista que o objetivo principal é promover a proteção e a segurança dos cidadãos.

Den√ļncias

O mun√≠cipe que encontrar algum animal silvestre deve acionar a Guarda Civil Municipal (GCM) pelo n√ļmero de emerg√™ncia 153.

Jararaca 

Uma das espécies de cobra mais perigosas e que ocorre em boa arte do Brasil. Mede cerca de 1,20m. A Jararaca possui desenhos que lhe proporcionam uma ótima camuflagem, o que torna difícil a visualização do animal, mesmo para olhos experientes.

No Brasil, as mordidas de jararaca (Bothrops jararaca) respondem por cerca de 90% do total de acidentes com humanos envolvendo serpentes. O veneno da jararaca pode provocar les√Ķes no local da mordida, tais como hemorragia e necrose que podem levar, em casos mais graves, a amputa√ß√Ķes dos membros afetados.

Foto: Divulgação/PMSV