PUBLICIDADE

Região / Polícia

Laudo aponta que bala que atingiu soldado da Rota n√£o saiu da arma do suspeito

A arma √© uma pistola da marca Taurus e o suspeito de ter atirado em Reis √© o ‚ÄúSniper do Tr√°fico‚ÄĚ, Erickson David da Silva, o Deivinho.

 

Foto: Reprodução

Por Vinícius Farias

A bala que atingiu o soldado da equipe de Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), Patrick Bastos Reis, em Guarujá, não teria saído da arma atribuída aos suspeitos, de acordo com o laudo pericial de confronto balístico do Centro de Exames, Análises e Pesquisas (Ceap) de Balística do Instituto Criminalística (IC). A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (18).

A arma √© uma pistola da marca Taurus e o suspeito de ter atirado em Reis √© o ‚ÄúSniper do Tr√°fico‚ÄĚ, Erickson David da Silva, o Deivinho. O caso ocorreu no dia 27 de julho, no bairro Vila J√ļlia, em Guaruj√°. A morte do soldado deu in√≠cio √† Opera√ß√£o Escudo, que prendeu mais de mil pessoas e apreendeu cerca de uma tonelada de drogas.

Os tr√™s acusados de matar Reis s√£o: Erickson ‚Äď o Deivinho, Kau√£ Jazon da Silva – irm√£o de Deivinho e Marco Antonio de Assis Silva – o Mazzaropi. Deivinho seria o ‚Äúseguran√ßa‚ÄĚ de um ponto de venda de drogas, identificado como ‚ÄúBiqueira da Seringueira‚ÄĚ, no alto do morro da Vila J√ļlia. Kau√£ tamb√©m estava no momento do ocorrido como ‚Äúolheiro‚ÄĚ da boca, avisando sobre a apari√ß√£o de policiais. E Mazzaropi seria o vendedor das drogas.

Foto: Reprodução

O laudo aponta que a bala extra√≠da do PM n√£o pode ter sa√≠do da arma, pois foram encontradas algumas ‚Äúdiscord√Ęncias entre os proj√©teis‚ÄĚ. De acordo com o documento, a pistola, de 9mm, estava em p√©ssimo estado de conserva√ß√£o, com o n√ļmero de s√©rie raspado, mas ainda funcionava. A arma foi encontrada no dia 31 de julho, descarregada e embrulhada em uma sacola, dentro de um beco. Na data do ocorrido, Erickson da Silva negou ter atirado no agente.

Entenda mais

Foto: Reprodução

O que desencadeou a ‚ÄúOpera√ß√£o Escudo‚ÄĚ foi a morte do soldado Reis, que foi baleado enquanto fazia um patrulhamento na comunidade da Vila Zilda.

A vítima chegou a ser levada para uma unidade de pronto atendimento na cidade, mas não resistiu aos ferimentos. Um outro policial também foi ferido, mas na mão esquerda. Ele foi encaminhado para o Hospital Santo Amaro (HSA), onde passou por um procedimento e foi liberado.