PUBLICIDADE

Região / Polícia

PF confirma R$ 2 mi em endereços ligados à Operação que prendeu prefeito de Guarujá

Da Redação

Atualizado às 20 horas

A Pol√≠cia Federal divulgou, nesta sexta-feira (17), mais detalhes sobre a Opera√ß√£o N√°car, deflagrada na √ļltima quarts e que resultou, entre outros, nas pris√Ķes do prefeito de Guaruj√°, V√°lter Suman, e o do secret√°rio de Educa√ß√£o, Marcelo Feliciano Nicolau. Eles continuam na Penitenci√°ria I de S√£o Vicente.

Durante as buscas, foram apreendidos quase R$ 2 milh√Ķes, em quatro endere√ßos relacionados aos investigados. Dentre as medidas determinadas pela Justi√ßa Federal, est√£o o bloqueio de R$ 7.058.766,17 de bens e valores de envolvidos.

A PF, em nota, diz que a ‚Äúa√ß√£o integrada com a Controladoria-Geral da Uni√£o (CGU) e do Tribunal de Contas da Uni√£o (TCU)”, buscava ‚Äúo aprofundamento da apura√ß√£o de ind√≠cios de fraudes na contrata√ß√£o, pela Prefeitura do Munic√≠pio de Guaruj√°, de Organiza√ß√Ķes Sociais e empresas para atuar na √°rea da Sa√ļde‚ÄĚ.

Foram cumpridos 25 mandados de busca e apreensão nos municípios de Guarujá, São Bernardo do Campo, São Paulo e Nova Iguaçu/RJ. Participaram da deflagração 125 policiais federais e 6 auditores da CGU.

‚ÄúOs investigados podem responder pelos crimes de peculato, corrup√ß√£o ativa e passiva, fraude em licita√ß√£o, organiza√ß√£o criminosa e lavagem de dinheiro. As penas, se somadas, podem variar de 12 a 46 anos‚ÄĚ, acrescenta a nota da Pol√≠cia Federal.

Prefeitura

A Prefeitura de Guarujá se manifestou, nesta sexta-feira, por meio de nota. Confira a íntegra:

“A Prefeitura de Guaruj√° informa que est√° tomando conhecimento das informa√ß√Ķes coletadas pela Pol√≠cia Federal e Tribunal de Contas da Uni√£o e esclarece que os procedimentos administrativos relativos √† aplica√ß√£o dos repasses Covid, e tamb√©m ao custeio do hospital de campanha, tiveram seus tr√Ęmites pautados na legalidade e na transpar√™ncia, conforme manda a legisla√ß√£o, e est√° colaborando com as apura√ß√Ķes. H√° de se registrar que o Munic√≠pio j√° agiu em diversas frentes, tanto que procedimentos internos j√° haviam sido deflagrados para a apura√ß√£o da m√° gest√£o e irregularidades praticadas pelas organiza√ß√Ķes sociais e empresas terceirizadas. Tamb√©m j√° foi instaurada sindic√Ęncia interna para apurar eventual envolvimento de servidores p√ļblicos.

Especificamente em rela√ß√£o aos contratos de gest√£o firmados com a Organiza√ß√£o Social (OS) Pr√≥ Vida, a Prefeitura esclarece que procedeu com sua desqualifica√ß√£o e, em seguida, a Advocacia Geral do Munic√≠pio INGRESSOU COM A√á√ÉO CIVIL P√öBLICA com pedido liminar de indisponibilidade de bens, quebra dos sigilos fiscal e banc√°rio de seus respons√°veis, h√° mais de 30 dias, al√©m de pedir ressarcimento aos cofres p√ļblicos por parte da OS e a devida responsabiliza√ß√£o civil. Al√©m disso, representa√ß√Ķes criminais foram protocoladas na Pol√≠cia Civil. A Administra√ß√£o Municipal segue tomando conhecimento de todos os fatos e colabora com as investiga√ß√Ķes”.

Origem do nome

N√°car √© a subst√Ęncia liberada pela ostra para se proteger e conter o corpo estranho, formando assim a p√©rola. O nome da opera√ß√£o √© uma alus√£o ao processo de conten√ß√£o de a√ß√Ķes criminosas no munic√≠pio do Guaruj√°, conhecido como P√©rola do Atl√Ęntico, e 19 √© o evento (Covid-19) que motivou a destina√ß√£o dos recursos p√ļblicos federais, possivelmente desviados.

Foto: Reprodução/TV