PUBLICIDADE

Santos / Porto

Marinha concede homologação para Porto de Santos receber navios de 366 metros

Da Redação

A Marinha do Brasil concede nesta ter√ßa-feira a homologa√ß√£o que permitir√° ao Porto de Santos receber navios de 366 metros, as maiores embarca√ß√Ķes previstas para a costa leste da Am√©rica do Sul. A entrega do termo acontece na sede da Santos Port Authority (SPA), com a presen√ßa de Diogo Piloni, titular da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquavi√°rios do Minist√©rio da Infraestrutura (Minfra), e do capit√£o dos Portos do Estado de S√£o Paulo, Marcelo de Oliveira S√°.

Com quase 30% da corrente de com√©rcio nacional, o complexo portu√°rio santista j√° se prepara para maiores movimenta√ß√Ķes de cont√™ineres, com as amplia√ß√Ķes previstas dos terminais j√° existentes e o planejamento da destina√ß√£o de outras duas √°reas, no Sabo√≥, margem direita, uma para terminal portu√°rio e outra para retroportu√°rio. Al√©m disso, a BR do Mar, projeto do Minfra de incentivo √† cabotagem, deve beneficiar o Porto como concentrador de carga. Mesmo sem considerar a BR do Mar, o crescimento previsto √© de 3,3% ao ano para este tipo de carga, saindo hoje de cerca de 4,4 milh√Ķes de TEU para 7,9 milh√Ķes em 2040, conforme proje√ß√£o do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) do Porto de Santos, aprovado no ano passado. TEU √© a medida padr√£o, equivalente a um cont√™iner de 20 p√©s.

Hoje o Porto de Santos recebe embarca√ß√Ķes de at√© 340 metros de extens√£o, com capacidade para cerca de 9 mil TEU. Com a homologa√ß√£o pela Marinha de novo tamanho m√°ximo para navios, ser√° poss√≠vel aumentar a capacidade para 14 mil TEU, considerando um navio porta cont√™iner com 366 metros de comprimento e 52 metros de boca (classe New Panamax).

A SPA, em processo que envolveu tamb√©m a Praticagem de S√£o Paulo e a Universidade de S√£o Paulo (USP), estudou e realizou simula√ß√Ķes manobrabilidade, intera√ß√£o hidrodin√Ęmica e planos de amarra√ß√£o, comprovando a viabilidade de tr√°fego dessas embarca√ß√Ķes no canal de navega√ß√£o. Os pesquisadores utilizaram simula√ß√Ķes matem√°ticas em que foram levados em conta o cen√°rio atual do canal, com profundidade de 15 metros, e um cen√°rio futuro, com profundidade de 17 metros, vi√°vel para navios de at√© 15 mil TEU.

A Brasil Terminal Portu√°rio (BTP), a DP World e a Santos Brasil fizeram, cada uma, um estudo sobre a manobrabilidade e viabilidade de chegada de embarca√ß√Ķes desse tamanho em seus terminais e os entregaram √† SPA, que consolidou os trabalhos, submetendo √† an√°lise da Capitania dos Portos de S√£o Paulo e √† Diretoria de Portos e Costas (DPC) da Marinha do Brasil.

Foto: Divulgação/SPA