PUBLICIDADE

Santos / Sa√ļde

Junho Vermelho e Laranja: Santos chama aten√ß√£o para campanhas de conscientiza√ß√£o sobre doa√ß√£o e sa√ļde do sangue

O Junho laranja busca divulgar informa√ß√Ķes sobre anemia e leucemia, al√©m de incentivar a popula√ß√£o a se tornar doadora de medula √≥ssea. J√° o Junho Vermelho visa incentivar a doa√ß√£o em uma √©poca que os estoques dos bancos de sangue costumam cair em todo o Pa√≠s.

Foto: Raimundo Rosa / Prefeitura de Santos

Da redação

Neste m√™s, duas campanhas de conscientiza√ß√£o, que se complementam, entram em cena para chamar a aten√ß√£o sobre doa√ß√£o e a sa√ļde do sangue. O Junho laranja busca divulgar informa√ß√Ķes sobre anemia e leucemia, al√©m de incentivar a popula√ß√£o a se tornar doadora de medula √≥ssea. J√° o Junho Vermelho visa incentivar a doa√ß√£o em uma √©poca que os estoques dos bancos de sangue costumam cair em todo o Pa√≠s.

A anemia é um sinal de que algo não está normal no corpo, geralmente caracterizado pela baixa quantidade de hemoglobina no sangue. Sintomas comuns incluem palidez, cansaço, fraqueza e coloração amarelada da pele. Estes sinais, conhecidos popularmente, indicam que os glóbulos vermelhos estão abaixo do nível normal. Embora muitas pessoas associem anemia à leucemia, é importante esclarecer que nem toda anemia evolui para leucemia.

‚ÄúO m√™s de junho √© dedicado √† conscientiza√ß√£o sobre anemia e leucemia para educar tanto a popula√ß√£o quanto os profissionais de sa√ļde sobre a import√Ęncia do diagn√≥stico precoce e correto dessas condi√ß√Ķes‚ÄĚ, informa a respons√°vel pelo Hemocentro de Santos e hematologista do Hospital Guilherme √Ālvaro (HGA), Elaine Mancilha, acrescentando que a conscientiza√ß√£o ajuda a garantir que as pessoas procurem atendimento m√©dico adequado e realizem exames de rotina, como hemogramas, que podem detectar doen√ßas e outras altera√ß√Ķes no sangue.

J√° a leucemia √© um tipo de c√Ęncer que afeta as c√©lulas sangu√≠neas e, frequentemente, necessita de transplante que visa substituir as c√©lulas doentes por c√©lulas saud√°veis provenientes de um doador. Esse procedimento √© popularmente conhecido como transplante de medula √≥ssea, mas o termo correto √© transplante de c√©lulas-tronco hematopo√©ticas, diz a m√©dica. ‚ÄúAs c√©lulas-tronco hematopo√©ticas s√£o as “c√©lulas-m√£e” da medula √≥ssea e s√£o respons√°veis pela produ√ß√£o de sangue‚ÄĚ, diz a especialista.

E, ao contr√°rio de outros tipos de transplantes que exigem um doador falecido, ela √© feita por doadores vivos. No Brasil, o cadastro de doadores de medula √≥ssea √© feito nos bancos de sangue, como o do Hospital Guilherme √Ālvaro (HGA), que atende a Baixada Santista.

‚ÄúEste √© um processo altru√≠sta semelhante √† doa√ß√£o de sangue. Quem quiser se registrar no Redome (Registro Nacional de Doadores de Medula √ďssea) pode fazer isso no banco de sangue. O cadastro n√£o obriga a doa√ß√£o de sangue, mas voc√™ pode fazer ambos ao mesmo tempo‚ÄĚ, acrescenta a hematologista do HGA.

 

Foto: Raimundo Rosa / Prefeitura de Santos

Por isso a doa√ß√£o de sangue e o registro como doador de medula √≥ssea s√£o gestos de solidariedade que podem salvar in√ļmeras vidas. No entanto, muitas pessoas ainda t√™m d√ļvidas e receios sobre esses procedimentos, o que pode dificultar o aumento no n√ļmero de doadores, explica a respons√°vel pelo HemoCentro de Santos. Ambas a√ß√Ķes t√™m um impacto direto na vida de muitos pacientes, especialmente os diagnosticados com leucemia.

Uma das principais preocupa√ß√Ķes de quem deseja se cadastrar como doador de medula √≥ssea √© a forma de coleta do material. Contrariando a cren√ßa popular de que √© necess√°rio retirar medula da espinha, o processo de registro √© bastante simples. A coleta para o registro consiste em retirar uma pequena quantidade de sangue, cerca de 3ml, similar a um exame de hemograma comum. Esse sangue √© enviado ao redome.

Para realizar esse registro, basta que a pessoa tenha entre 18 e 35 anos, esteja em boas condi√ß√Ķes de sa√ļde e compare√ßa ao Banco de Sangue do Hospital Guilherme √Ālvaro. O processo de registro √© simples: ap√≥s manifestar a inten√ß√£o de doar na recep√ß√£o do banco de sangue, o potencial doador fornece seus dados pessoais e o tubo de sangue √© coletado.

Este material √© enviado ao Instituto Nacional do C√Ęncer (Inca) para testes gen√©ticos que determinam a compatibilidade com pacientes que precisam de transplante. O √≥rg√£o, que fica no Rio de Janeiro, organiza os transplantes no Pa√≠s. Quando ¬†algum paciente necessita, o Inca verifica a compatibilidade, encontrando o doador, ele √© contatado para confirmar sua disponibilidade.

Por isso, √© essencial manter os dados de contato atualizados sempre atualizados para facilitar essa comunica√ß√£o. ‚ÄúUma falha comum √© o doador mudar de telefone e n√£o atualizar essa informa√ß√£o no banco de dados‚ÄĚ, alerta a m√©dica.

A especialista explica que existem duas formas principais de coleta a qual o doador pode ser submetido: por sangue perif√©rico, que √© menos invasivo, e a coleta cir√ļrgica, utilizada somente em casos muito espec√≠ficos. No m√©todo perif√©rico, um medicamento estimula as c√©lulas-tronco a sa√≠rem da medula para o sangue, de onde s√£o coletadas por uma m√°quina especial.

‚ÄúEste procedimento √© semelhante √† doa√ß√£o de sangue por af√©rese e √© preferido por ser menos invasivo. J√° a coleta cir√ļrgica √© reservada para situa√ß√Ķes especiais e sempre com o consentimento do doador‚ÄĚ, diz.

O transplante de c√©lulas-tronco hematopo√©ticas √© geralmente o √ļltimo recurso para pacientes com leucemia, ap√≥s a quimioterapia. Embora n√£o garanta 100% de cura, oferece uma chance significativa de sobreviv√™ncia ao substituir as c√©lulas doentes e fornecer uma defesa adicional contra a reca√≠da da doen√ßa.

“A c√©lula-tronco doada tem a capacidade de proliferar na medula √≥ssea do receptor, fornecendo uma nova fonte de c√©lulas saud√°veis e ajudando a combater a leucemia. No Sistema √önico de Sa√ļde (SUS), o transplante de medula √≥ssea √© uma das melhores op√ß√Ķes de tratamento dispon√≠vel para leucemia‚ÄĚ.

Ela diz ainda que o Brasil se destaca mundialmente pela sua rede de transplantes de medula óssea, com um dos maiores registros de doadores do mundo, graças à diversidade genética da população.

A doa√ß√£o de sangue tamb√©m tem campanha especial. O Junho Vermelho serve de lembrete e alerta, afinal a doa√ß√£o √© igualmente essencial e salva in√ļmeras vidas, especialmente de pacientes com doen√ßas hematol√≥gicas graves, como a leucemia, que necessitam de transfus√Ķes frequentes. Al√©m disso, cirurgias e acidentes tamb√©m demandam um estoque cont√≠nuo de sangue.

Confira os requisitos b√°sicos para ser um doador:

-Ter entre 18 e 60 anos.

-Estar em boas condi√ß√Ķes de sa√ļde.

-Pesar mais de 50 kg.

-Ter dormido bem na noite anterior.

-N√£o ter consumido bebidas alco√≥licas nas √ļltimas 24 horas.

-Estar bem alimentado, sem necessidade de jejum, mas evitando refei√ß√Ķes muito gordurosas.

Os doadores passam por uma triagem com profissionais de sa√ļde que verificam se est√£o aptos para a doa√ß√£o de sangue. Essa triagem garante que tanto o doador quanto o receptor estar√£o seguros.

O Banco de Sangue do Hospital Guilherme √Ālvaro (Rua Oswaldo Cruz, 267), em Santos, atende de segunda a s√°bado, das 8h √†s 12h30.