COLUNASDICAS DE PORTUGUÊS 

Da convicção religiosa ao simples interesse pelo feriado, pela comida ou presente. Na cultura ocidental, muito se fala nesta época do ano sobre Jesus. Discute-se de tudo um pouco, mas a maioria se esquece de uma dica tão simples quanto importante logo no início de sua narrativa: nascer. 

Ele poderia ter sido feito de barro (como na versão Adão e Eva); poderia ter sido conduzido por uma cegonha (como na versão infantil) ou muitas outras possibilidades. Mas não. Não mesmo. Ele nasceu. 

Hoje, há quem espere pela cegonha das circunstâncias para ser condizido a uma vida melhor. Há quem espere por um amor ou por alguém para que do barro lhe crie uma uma vida perfeita. E há aqueles que preferem, de fato, interferir na existência. Preferem nascer. 

Nascer é assumir responsabilidade com a vida. É não transferir a incumbência de sua felicidade a outro. Nascer é entrar em uma nova realidade, com uma ajuda, com uma atitude, com uma palavra ou, às vezes, com sua simples presença. 

Da forma Latina nātālis, a palavra “natal” relaciona-se, em sua origem, ao verbo nāscor (nāsceris, nāscī, nātus sum) cujo significado é… NASCER!.

Quando passamos por uma grande dor e somos capazes de erguer os olhos, pois alguém precisa e nós, estamos nascendo. 

Quando perdoamos alguém que nos magoou, mesmo sem o outro reconhecer ou perceber o erro, neste momento estamos nascendo. 

Quando você busca prazer no que faz, em vez de só tentar fazer o que lhe dá prazer, certamente você está nascendo. 

Quando alguém se torna uma grande pedra em seu caminho e o obriga a elevar-se para transpô-la, substituir o rancor por gratidão é nascer.

Não se esqueça de que os bons crescem com o desafio, mas as pedras geralmente afundam ou ficam no mesmo lugar. 

Ela é uma boa esposa. Ele é um bom pai. Aquele é um bom porteiro. Referir-se às pessoas por suas qualidades em vez de comentar seus defeitos é nascer. 

Todos nós esperamos mais dos outros do que eles podem dar. Logo, em algum momento, todos nós decepcionamos alguém. Reconhcer o ponto de vista do outro em vez de criar uma versão confortável a si mesmo é nascer. 

Dizer “obrigado por sua amizade”, ainda que distante; agradecer uma oportunidade de trabalho, ainda que não se ganhe tão bem. Dizer “nem sempre concordo com o que você diz, mas amo você mesmo assim”. Isso é nascer. 

Ajudar o desconhecido. Fazer o bem para além dos seus. 

É Natal. Faça a festa. Mas não deixe de fazer NASCER algo bom em sua vida!

descricao-dicas-portugues-romulo-bolivar

saiba antes via instagram @revistamaissantos