PUBLICIDADE

Região / Cotidiano

Justiça Eleitoral de PG inicia julgamento de prefeita por supostas irregularidades

Da Redação

A Justiça Eleitoral de Praia Grande deu início nesta semana ao julgamento da prefeita Raquel Chini (PSDB) por irregularidades que teriam sido cometidas durante a campanha no ano passado. As denúncias foram feitas por Danilo Morgado (PSL), candidato derrotado no segundo turno da eleição municipal.

Na segunda-feira (5) houve a primeira audiência do processo sobre possível abuso de poder político da então candidata a prefeita. De acordo com o advogado de Morgado, Marcelo Viela Fernandez, houve uma violação da lei eleitoral quando funcionários públicos e até cargos comissionados trabalharam na campanha da sucessora de Alberto Mourão. “Isso com clareza desequilibrou a disputa em favor da candidata que foi eleita”, aponta Viela.

No dia seguinte (6) foi realizada a primeira audiência sobre outra denúncia de Danilo Morgado, de que moradores de Cubatão foram contratados de forma irregular para trabalhar na campanha de Raquel Chini.

Robson Molica, advogado da prefeita, informa que sua cliente esta ciente de todos os processos referentes a sua campanha. E ressalta que tais acusações não possuem fundamentação.

“Os funcionários públicos, bem como os demais contratados, estão devidamente declarados na prestação de contas da campanha, que por sua vez esta aprovada em definitivo, ou seja, decisão transitada pela Justiça Eleitoral. O fato é que a acusação não conseguiu apresentar provas testemunhais para basear suas infundadas denúncias e esta buscando produzir factoides”.

Morgado moveu outros dois processos contra Raquel Chini, sobre compra de votos e entrega irregular de cestas básicas. Não há previsão de quando a Justiça dará uma decisão sobre esses quatro casos.

Foto da capa: Divulgação/Prefeitura de Praia Grande