PUBLICIDADE

Região / Cotidiano

Trabalhadores do transporte de São Vicente anunciam greve, mas liminar garante 100% da frota em horário de pico

Da Redação

Os motoristas e demais empregados da empresa Otrantur, que opera o transporte coletivo em São Vicente, anunciaram greve a partir da zero hora desta quarta-feira (19).

No entanto, uma liminar judicial garantiu que houvesse 100% da frota na rua – 47 ônibus – no horário de pico – ou seja, de 6 às 9 horas, enfraquecendo o movimento grevista. Depois deste período, a circulação de coletivos se restringirá a 60% dos carros.

Em assembleia na noite desta terça-feira (18), com base na lei de greve (7783-1989), no sindicato dos trabalhadores rodoviários, eles confirmaram a paralisação.

Logo após a reunião, os trabalhadores e diretores do sindicato rumaram para a porta da garagem, na Rua Frei Gaspar, 2.833, na Cidade Náutica, onde se revezarão até o fim do movimento.

A categoria reclama salários, horas extras e benefícios atrasados, entre eles plano de saúde, vale-refeição, adicional de assiduidade, ‘PLR’ e férias vencidas.

No sábado (15), o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana, publicou dois editais, um convocando a assembleia desta semana e outro avisando aos usuários sobre a greve.

Famílias desassistidas

No comunicado, ele pondera sobre “a intranquilidade dos trabalhadores e suas famílias, que estão prestes a ficar desassistidas”. E diz que “a mora tem sido contumaz”.

No documento, Pestana adverte que, caso a empresa não salde as dívidas, a greve será por tempo indeterminado. Ele ressalta, porém, que os requisitos para preservar os usuários serão observados.

No edital de convocação da assembleia, o sindicalista reclama da falta de medidas sanitárias frente à nova onda da pandemia e destaca o risco de corte do plano de saúde.

Empresa e prefeitura

O documento responsabiliza a “inércia” da empresa e da prefeitura, como contratante dos serviços, pelo não cumprimento dos direitos trabalhistas. E adianta que acionará a justiça e o ministério público.

Em assembleia na semana passada, o vice-presidente, o secretário-geral e o diretor jurídico, Alberto Simões ‘Betinho’, Eronaldo Oliveira ‘Ferrugem’ e Walter Gomes ‘Mineiro’ orientaram os trabalhadores.

Lembraram que não devem fazer greves espontâneas, sem cobertura do sindicato e observação da lei de greve, alertando que isso poderá prejudicá-los em eventual julgamento.

Foto: Divulgação Otrantur