PUBLICIDADE

Região / Polícia

Governo de SP finaliza Operação Verão e contabiliza mais de mil presos e 2,6 toneladas de drogas apreendidas

A ação policial teve início em dezembro do ano passado, mas teve reforço após a morte do soldado da equipe de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Samuel Wesley Cosmo, no início de fevereiro, em Santos. A operação contou com reforço de policiais para combater a criminalidade e reduziu em 25% os roubos na Baixada Santista.

 

Foto: Reprodução / Folhapress

Da redação

O Governo de S√£o Paulo anunciou nesta segunda-feira (1) o encerramento da terceira fase da Opera√ß√£o Ver√£o. A estrat√©gia da Secretaria da Seguran√ßa P√ļblica (SSP) para combater o crime organizado por meio da asfixia financeira do tr√°fico de drogas, agora d√° lugar √† amplia√ß√£o de efetivo de 341 PMs que passam a atuar de maneira permanente nas cidades da regi√£o.

O an√ļncio foi feito pelo secret√°rio da pasta, Guilherme Derrite. ‚ÄúA opera√ß√£o cumpriu os seus objetivos, seja capturar alvos identificados por um trabalho de intelig√™ncia conjunto entre as pol√≠cias como reduzir os √≠ndices criminais na Baixada Santista. Agora, com a amplia√ß√£o do efetivo, podemos dar continuidade a esse combate, que ser√° constante‚ÄĚ, ressaltou o secret√°rio, ao analisar a regi√£o como uma das mais desafiadoras no combate ao tr√°fico de drogas por conta de sua localiza√ß√£o e escoamento de drogas para Europa.

Desde dezembro, no início do reforço na segurança na Baixada com as férias de fim de ano, 1.025 infratores foram presos, sendo quase a metade (438) procurada pela Justiça, além de 47 menores apreendidos. As Polícias Civil e Militar retiraram das ruas 2,6 toneladas de drogas e apreenderam 119 armas de fogo ilegais. De acordo com a SSP, esse trabalho resultou na redução de roubos em 25,8% em Santos, São Vicente e Guarujá no primeiro bimestre do ano, quando comparado ao do ano anterior. Em toda a Baixada Santista, fevereiro de 2024 foi o mês com a menor taxa de roubos da série histórica, iniciada em 2001.

No m√™s passado, a gest√£o paulista tamb√©m anunciou uma s√©rie de investimentos para fortalecer a seguran√ßa na Baixada. H√° previs√£o de aplicar R$ 70 milh√Ķes para reformar e concluir obras de unidades policiais e aquisi√ß√£o de equipamentos, como viaturas, barcos blindados e novas armas. ‚ÄúTudo isso para continuar o combate ao crime na regi√£o, elencada como priorit√°ria por conta da grande quantidade de drogas encontrada e de procurados pela Justi√ßa e outros criminosos que foram presos utilizando o territ√≥rio para cometer seus crimes‚ÄĚ, destacou o secret√°rio.

Combate ao crime organizado

Durante a intensifica√ß√£o do policiamento, que contou com unidades das for√ßas de seguran√ßa de S√£o Paulo, houve pris√Ķes de pe√ßas-chaves para o crime organizado que atuavam a partir da Baixada.

Uma delas foi presa no √ļltimo dia 8 de fevereiro. Karen de Moura Tanaka Mori, a Japa, √© suspeita de comandar a lavagem de dinheiro de uma fac√ß√£o criminosa em Santos, Cubat√£o e Guaruj√°, al√©m da capital. Os policiais tamb√©m prenderam Caio Vinicius, apelidado de ‚ÄúNego Boy‚ÄĚ, acusado de liderar o tr√°fico de drogas em uma das comunidades de Santos.

Ainda dentro da opera√ß√£o, a pol√≠cia identificou a atua√ß√£o de Rodrigo Pires dos Santos, conhecido como ‚ÄúDanone‚ÄĚ, outra lideran√ßa de alto escal√£o de uma fac√ß√£o. Na a√ß√£o, em 16 de fevereiro, o suspeito trocou tiros com policiais e foi morto. Ao todo, 56 pessoas entraram em confronto com as for√ßas policiais e morreram.

Apreens√Ķes em √°reas de mangue e im√≥veis demonstraram a atua√ß√£o de fac√ß√Ķes criminosas na Baixada para o escoamento de drogas, inclusive para fora do pa√≠s. Na √ļltima semana, 1,2 tonelada de coca√≠na que seria levada para fora do Brasil a partir do litoral paulista foi apreendida por investigadores do Departamento Estadual de Investiga√ß√Ķes Criminais (Deic).

Al√©m disso, dezenas de im√≥veis usados por traficantes como ‚Äúcasas bomba‚ÄĚ para armazenar drogas e armas foram desativados pelos policiais na Baixada. No √ļltimo dia 14 de mar√ßo, dez constru√ß√Ķes em √°rea de mata foram destru√≠das por equipes do policiamento ambiental, com apoio do Grupo de A√ß√Ķes T√°ticas Especiais (Gate).

Gabinete em Santos

Foto: Secret√°ria de Seguran√ßa P√ļblica (SSP)

A terceira fase da a√ß√£o, iniciada em 7 de fevereiro, foi deflagrada depois da morte de dois PMs que atuavam na Opera√ß√£o Ver√£o. O soldado Samuel Wesley Cosmo, da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), foi atingido por um tiro no rosto durante uma opera√ß√£o no bairro Bom Retiro, e o cabo Jos√© Silveira Santos, do 2¬į Batalh√£o de A√ß√Ķes Especiais de Pol√≠cia (Baep), morreu ao ser baleado em uma a√ß√£o no Jardim S√£o Manoel, ambos em Santos.

Na √©poca, a Secretaria da Seguran√ßa P√ļblica transferiu temporariamente o gabinete da pasta para Santos, na sede do Comando de Policiamento do Interior (CPI-6). As a√ß√Ķes estrat√©gicas de enfrentamento ao crime organizado ganharam refor√ßo no planejamento para capturar fugitivos da Justi√ßa e coibir o tr√°fico de drogas, atacando a cadeia log√≠stica usada pelas organiza√ß√Ķes criminosas para transportar entorpecentes para pa√≠ses da Europa, √Āsia e √Āfrica.

Foto: Reprodução